Horta

No jardim ou no vaso, aprenda a cultivar jabuticabeira em casa

José Antonio Alberto da Silva
Com polpa branca e suculenta, os frutos da jabuticabeira são saboreados 'in natura' imagem: José Antonio Alberto da Silva

Karine Serezuella

Colaboração para o UOL, em Ribeirão Preto

Com casca brilhante, fina e coloração que vai do roxo claro ao escuro - quase preto - os frutos da jabuticabeira são bem mais saborosos do que podem aparentar. As "bolinhas" de um a três centímetros de diâmetro têm polpa branca e suculenta; são consumidas geralmente "in natura", mas com elas também são preparados sucos, licores, aguardentes e doces.
 
Por causa do crescimento lento, a primeira frutificação da planta pode levar alguns anos, mas a espera compensa. A beleza dos frutos, ramos e folhas, e a luminosidade interna na copa fazem da jabuticabeira uma árvore bastante ornamental, além de pouco exigente no cultivo. De acordo com a paisagista Christiane Ribeiro, o diferencial da frutífera é a formação de suas flores e frutinhas nos troncos, uma característica das espécies caulifloras.
 
Cultivada em todo o Brasil, a jabuticabeira é popular e pertence à família Myrtaceae. O pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), José Antonio Alberto da Silva, destaca entre as variedades a espécie Myrciaria jaboticaba, conhecida como sabará e a Myrciaria cauliflora, popularmente chamada de paulista, assu ou ponhema. "É uma planta de origem subtropical que se adapta bem a regiões tropicais, além de tolerar geadas", explica.

Plantio e cuidados

  • Margarete Magalhães/Folhapress

    No jardim

    A jabuticabeira pode ser cultivada em jardins, quintais e pomares comerciais. Como as mudas produzidas por meio de sementes normalmente frutificam somente após o décimo ano, o pesquisador José Antonio Alberto da Silva indica o uso de plantas enxertadas, compradas em viveiros de boa procedência. A paisagista Christiane Ribeiro recomenda plantar junto à jabuticabeira outras frutíferas, árvores floríferas e áreas gramadas. Além disso, como as árvores costumam chegar a dez metros de altura é preciso um planejamento de espaço. Mantenha uma distância de seis metros entre os exemplares, escolha um local ensolarado para o cultivo e faça a(s) cova(s) com 60 cm³. "Se a planta estiver em local sombreado, haverá secamento de ramos e redução na produção", diz Silva.

    imagem: Margarete Magalhães/Folhapress

  • Getty Image

    No vaso

    A planta se desenvolve bem em vasos, sendo uma ótima opção para pequenos espaços como varandas. O cultivo isolado requer cuidados mais severos, principalmente, de irrigação e adubação. Escolha um recipiente com no mínimo 50 cm de boca e 50 cm de altura. Embora não tenha raízes profundas, o ideal é que o exemplar esteja acomodado em um suporte grande com um bom volume de terra. Para que não haja acúmulo de água e apodrecimento das raízes, aconselha-se a criação de um dreno. Para isso, faça um furo no fundo do recipiente com 2 cm de diâmetro. Depois, coloque uma camada de 5 cm de argila expandida ou pedra britada, sem tampar o orifício. Por fim, cubra com um pedaço de manta acrílica, seguida por uma camada de 5 cm de areia grossa. Sobre tal base coloque a terra preparada e plante a muda. O pesquisador José Antonio Alberto da Silva, da APTA, indica para o cultivo em vasos as variedades chamadas de híbridas: elas produzem frutos graúdos e doces a partir do quarto ano e floradas a cada doze meses.

    imagem: Getty Image

  • Getty Image

    Preparo do solo

    Para o preparo do solo pré-plantio em casa, misture: 60 l de terra (se for muito argilosa, coloque 40 l de terra e 20 l de areia grossa); 40 l de esterco curtido ou composto orgânico; 200 g do adubo químico superfosfato simples; 200 g de calcário. Siga a proporção de três partes de terra para duas de esterco ou composto orgânico. Em caso de plantio no canteiro, misture à terra que retirar para a cova as mesmas quantidades de esterco, adubo químico e calcário.

    imagem: Getty Image

  • Marcelo Justo/Folhapress

    Trato

    A jabuticabeira exige irrigação diária para manter as folhas vistosas e produzir flores e frutos. Porém, lembre-se que tanto o excesso quanto a falta de água podem ser prejudiciais à planta, por isso, observe o comportamento do vegetal e a umidade do solo. Como a copa da árvore é arredondada, não demanda podas de formação. Se preferir um exemplar mais alto e retilíneo, elimine os ramos laterais finos, cortando-os rentes ao tronco. Para uma melhor ventilação e entrada de luz entre a folhagem, retire alguns galhos internos, além dos secos. A adubação deve ser feita conforme os sintomas de deficiência química da planta, como galhos atrofiados e folhas amareladas. A adubação orgânica "de reforço" pode ser realizada uma vez por ano, no inverno.

    imagem: Marcelo Justo/Folhapress

  • Getty Image

    Pragas e doenças

    Cochonilhas, pulgões, besouros e a doença conhecida como ferrugem - que produz manchas amarelas nos frutos - podem atacar a jabuticabeira. Para controle dos insetos, uma solução simples (água (1 l), detergente neutro (20 ml), óleo vegetal (20 ml) e sal de cozinha (20 g) dissolvidos) pode ajudar. Com o auxílio de um borrifador, faça pulverizações nos períodos mais frescos do dia. Para tratar a ferrugem, é recomendável a poda de limpeza, a fim de melhorar a ventilação e a insolação. Para complementar o tratamento, pulverize solução à base de cobre, encontrada em lojas agropecuárias. O pesquisador da Agência Paulista de Tecnologia dos Agronegócios (APTA), José Antonio Alberto da Silva alerta que, por ser um produto tóxico, é necessário ter um técnico para prescrever o uso do fungicida e seguir corretamente as instruções de uso.

    imagem: Getty Image

topo