Casa e decoração

Revestimento autolimpante já é realidade; conheça essa e outras novidades

Juliana Nakamura

Colaboração para o UOL, de São Paulo

Os lançamentos da indústria de revestimentos e acabamentos para áreas internas e externas da casa são apresentados, anualmente, na Expo Revestir. O evento, que em 2016 celebra sua 14ª edição, tem lugar em São Paulo. A reportagem de UOL percorreu os corredores da feira em busca de produtos que fujam do lugar-comum, no design ou na técnica. 

  • Júnior Lago/ UOL

    Revestimento autolimpante

    A Eliane (www.eliane.com) firmou uma parceria com a japonesa Toto (www.toto.co.jp) para incorporar em alguns de seus revestimentos cerâmicos a tecnologia Cleantec: trata-se da aplicação de uma camada de óxidos de metais nobres, invisível a olho nu. Explicam as fabricantes que, na presença de luz, tais compostos geram uma reação química que torna a superfície autolimpante e ecológica. Isto porque, a tecnologia aproveita a água da chuva para eliminar a sujeira das fachadas e retira da atmosfera gases geradores do efeito estufa. Em ambientes internos, além de facilitar a limpeza, o produto reduz o crescimento de bactérias, fungos e microorganismos que causam maus odores e mofo.

    Imagem: Júnior Lago/ UOL

  • Júnior Lago/ UOL

    Influência digital

    A arquiteta e designer Fernanda Marques buscou inspiração no mundo digital para criar os revestimentos de parede Pixel, lançados pela Solarium (www.solariumrevestimentos.com.br). A linha é composta de módulos cimentícios em formato hexagonal. Algumas peças contam com motivos geométricos impressos em baixo relevo. Também gera um efeito tridimensional o Trapézio Preto, revestimento de parede que compõe a coleção Urban Shapes, da Decortiles (www.decortiles.com.br). Imponentes, as superfícies chamam a atenção por seus volumes dramáticos.

    Imagem: Júnior Lago/ UOL

  • Divulgação/ Júnior Lago/ UOL

    Parede de musgo

    Para quem busca uma alternativa aos jardins verticais que demandam manutenção, a italiana Verde Profilo (www.verdeprofilo.com) desenvolveu a Moss Wall, uma parede composta exclusivamente de musgos. Segundo a fabricante, a tecnologia dispensa regas e podas e possibilita a composição de jardins internos, mesmo em ambientes sem luz do sol. O líquen natural, que tem o toque de uma esponja, é oferecido em 21 cores.

    Imagem: Divulgação/ Júnior Lago/ UOL

  • Júnior Lago/ UOL

    Efeito 3 D

    Em resposta a demanda por revestimentos com aparência mais industrial e contemporânea, a Roca (www.rocaceramica.com.br) lança a linha Urban Street, composta de superfícies para a decoração de paredes e porcelanatos inspirados no concreto e nos metais, com efeitos ópticos. Entre os destaques da coleção estão o Malla Sweet, um mosaico de alumínio (nas versões dourada e prateada), e o Anima Colour, com influência da Pop Art e que reúne em uma única placa quadrados coloridos que remetem às janelas das grandes cidades.

    Imagem: Júnior Lago/ UOL

  • Júnio Lago/ UOL

    Parece, mas não é

    Há alguns anos, a indústria de revestimento tira proveito de técnicas de impressão digital "full HD" para produzir superfícies com aparência de outros materiais. O Brick Vecchio, criado por Nina Martinelli (www.ninamartinelli.com.br), é um exemplo: as peças cerâmicas recriam tijolinhos rústicos ou metais oxidados. Outro produto que segue essa linha é o porcelanato Rusty, da Cecrisa (www.cecrisa.com.br). Com tom de cobre e aspecto desgastado, o produto remete às chapas metálicas usadas em navios, mas com toque suave.

    Imagem: Júnio Lago/ UOL

Topo