Casa e decoração

Sete passos para cultivar um jardim incrível em casa

Simone Sayegh

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Não importa o tamanho do jardim, planejamento e cuidados básicos ajudam a torná-lo o “melhor do mundo”. O UOL consultou os paisagistas premiados, Alex Hanazaki e Tania Manela Kurc e conta tudo, tintim por tintim.

  • Getty Images

    Dedique-se

    Antes de tudo é preciso entender que ter um jardim é como criar um bichinho de estimação: tem que cuidar para crescer e isso inclui investir tempo, um pouco dinheiro e atenção. Antes de começar a plantar, analise sua rotina e o espaço disponível na agenda (e no bolso) para se dedicar à manutenção.

    Imagem: Getty Images

  • Romulo Fialdini/ Divulgação

    Saiba o que você quer

    Entenda qual a área disponível e o que deseja dela: jardins não são só plantas, o conceito do paisagismo vai muito além. É a construção de um ambiente completo com pergolados (como os usados por Hanazaki - foto), piscinas, espelhos d'água, lagos, caminhos e tudo que possa transformar o local (mesmo que pequenino) e melhorar o bem-estar do usuário.

    Imagem: Romulo Fialdini/ Divulgação

  • Yuri Seródio/ Divulgação

    Determine seu estilo

    Para começar, pense em um estilo de jardim que goste e use-o como linha mestra. Você tem toda a liberdade de cultivar o que desejar, mas estabelecer o estilo ajuda a orientar a oferta de espécies e a escolha de mobiliário, podas e composições. Existem diversas vertentes dos clássicos e coloniais às tropicais, contemporâneas (como a desenvolvida por Hanazaki - foto) e compostas só de vasos. Pesquise, escolha e mantenha, pelo menos de início, uma coerência formal. Leia mais

    Imagem: Yuri Seródio/ Divulgação

  • Demian Golovaty/ Divulgação

    Entenda seu espaço

    O entorno - a paisagem e a arquitetura - onde o projeto está inserido é importante. Muitas espécies propícias para o seu jardim podem vir da própria região em que você está. Não adianta gastar muito com variedades caras e exóticas, se o clima não é favorável e a manutenção precária. Fique dentro de sua própria realidade. Além disso, saiba que há plantas de sol pleno, meia sombra e sombra, adequadas ou não a espaços externos ou internos. E espécies que exigem pouquíssima manutenção e outras que precisam de muitos cuidados. Mas como vou saber tudo isso? Busque referências: é possível fazer isso em fóruns na internet, sites especializados e, também, procurando a orientação de um paisagista ou jardineiro.

    Imagem: Demian Golovaty/ Divulgação

  • Getty Images

    Desenhe e planeje

    Antes de sair cavando, tenha em mente a posição onde as espécies serão plantadas. Junto a divisas (a exemplo dos muros) fuja de variedades com raízes grosas e invasivas. Se na casa vivem animais de estimação e crianças, evite as venenosas. Estude também a convivência entre as plantas escolhidas, uma árvore frondosa pode fazer muita sombra e retardar o desenvolvimento de espécies de sol pleno sob si. Vegetais mais agressivos também podem "invadir" o espaço de outros mais delicados.

    Imagem: Getty Images

  • Divulgação

    Regue, nutra e pode

    Manter as plantas saudáveis inclui água e luz na medida certa, solo ou composto nutrido e podas regulares, quando a espécie assim exigir. Cuide para que os vegetais permaneçam livres de fungos, pragas (como pulgões e cochonilhas) e doenças, tratando com remédios, remoções e soluções caseiras de acordo com a prescrição dada por um paisagista ou agrônomo. Leia mais

    Imagem: Divulgação

  • Getty Images

    Respeite cada plantinha

    Finalmente, se seu jardim for montado em vasos, pense sempre na proporção do conjunto. A relação entre o tamanho do vaso e da espécie deve ser respeitada e as regras de insolação, irrigação e poda precisam ser seguidas, assim como para os exemplares em canteiros. Capriche também na qualidade da terra ou substrato, pois os vegetais cultivados em vasos e floreiras não têm onde buscar nutrientes quando a terra fica escassa de vitaminas: manutenção é fundamental.

    Imagem: Getty Images

Topo