Casa e decoração

Mercado Municipal de SP terá piso e iluminação novos

Zé Carlos Barretta/Folhapress
A obra está prevista para começar no primeiro semestre de 2012 imagem: Zé Carlos Barretta/Folhapress

 

São Paulo - A Prefeitura contratou o escritório de arquitetura Pedro Paulo de Melo Saraiva para realizar uma nova reforma no Mercado Municipal de São Paulo. A maior intervenção será a troca do piso do mezanino, que está com placas estilhaçadas e pedaços de vidros soltos. Ele será trocado por um de madeira e vidro fosco.
 
A obra está prevista para começar no primeiro semestre do ano que vem. Por causa da mudança, o restante do projeto de reforma inclui a alteração da iluminação do térreo, onde ficam cerca de 300 boxes. A mudança do piso foi autorizada pelo Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico do Estado de São Paulo (Condephaat). Mas o novo projeto será analisado pelo órgão.
 
As trincas no piso foram mostradas em reportagem do jornal "O Estado de S. Paulo" em abril. Em seguida, o prefeito Gilberto Kassab (PSD) anunciou a reforma. O mezanino de 2 mil m², não previsto no projeto original de 1933, custou R$ 16,9 milhões e foi construído em 2004, como parte de reforma executada pelo mesmo escritório contratado agora.
 
O projeto de reforma foi doado à Prefeitura. Em maio, a Secretaria de Coordenação das Subprefeituras chegou a abrir licitação para trocar o vidro do piso, mas a empresa vencedora desistiu do serviço no fim do processo. O custo inicial estimado era de R$ 350 mil - sem a mudança da iluminação.
 
"O novo piso terá placas de vidros entremeadas por piso de madeira. Vai existir uma mistura dos dois. Foi uma visão do arquiteto, imaginando que o mezanino poderia gerar uma transparência sobre o térreo", explica o supervisor-geral de Abastecimento da Prefeitura, José Roberto Graziano. "Mas o vidro será fosco, não vai existir essa transparência total."
 
Já o novo projeto de iluminação vai valorizar o reflexo colorido dos vitrais alemães em estilo gótico do Mercadão. "A nova iluminação vai gerar uma difusão de cores dos vitrais no chão, ficou um projeto bem inovador", conta o assessor técnico de Projetos da Prefeitura, Marcelo Bruni. Ele explica que o escritório da reforma de 2004 foi contratado "em respeito ao projeto da reforma original".
Topo