Casa e decoração

Produtos mais baratos reduziram roubos a casas, diz pesquisa

Uma pesquisa britânica afirma que os ladrões estão mudando de preferência nos furtos realizados em casas devido à depreciação de vários eletrodomésticos ao longo dos anos.

Os pesquisadores da Universidade de Leicester afirmam que os ladrões estão deixando de invadir domicílios para assaltar pessoas, uma alternativa mais rentável aos criminosos.

De acordo com a universidade, estatísticas oficiais mostram que houve 1,28 milhões de invasões de domicílio na Inglaterra e País de Gales em 1999. Em 2009, o número caiu para 744 mil.

Um porta-voz do Home Office, o ministério do Interior britânico, há sinais claros de que houve uma mudança na proporção de invasões de domicílio em relação aos demais crimes. O número de invasões de domicílio caiu 54% desde 1997, mas o número de assaltos se manteve estável no período.

Para o pesquisador James Treadwell, houve uma mudança de prioridade por parte dos ladrões. Segundo ele, um aparelho de DVD - alvo comum de furtos domiciliares no passado - "simplesmente não vale mais a pena ser roubado" devido ao seu preço baixo.

Treadwell afirma que a globalização - especialmente com a chegada de produtos eletrônicos baratos da China - está obrigando os ladrões a repensarem o que vale a pena ser roubado.

"A última década foi memorável em termos de crime, com mudanças grandes", afirma ele.  "Se nós olharmos para os anos 80 e 90, o tipo de crimes comuns eram, por exemplo, invasões e roubos de carro. E esses crimes funcionavam porque eles seguiam um modelo de negócios, já que era possível invadir uma casa e roubar uma câmera de vídeo e vendê-la com lucro."

"Enquanto aparelhos de DVD, por exemplo, ficaram mais baratos, alguns itens de consumo ficaram menores e muito, muito caros e cobiçados. Então modelos mais novos de telefones celulares ou de iPods, que as pessoas costumam portar, viraram alvos dos ladrões."

Os dados completos do levantamento da Universidade de Leicester serão apresentados em julho, durante um congresso da Sociedade Britânica de Criminologia.

Topo