Casa e decoração

Um quarto de bilhão de pessoas deixou favelas na última década, diz ONU

A ONU afirma que um total de 227 milhões de pessoas em todo o mundo deixaram suas favelas na última década, segundo o relatório State of the World’s Cities 2010/2011.

O relatório afirma que China e Índia deram “passos gigantes” para melhorar as condições de moradia de suas populações. Mas o crescimento populacional e o êxodo rural fizeram com que no total o número de favelados crescesse de 776,7 milhões para 827,6 milhões durante a década.

Os autores do estudo calculam que, mantida a taxa atual, o número de habitantes de favelas chegará a 889 milhões em 2020.

Metade deste crescimento veio de pessoas que já viviam em favelas, um quarto de migrantes do campo para áreas urbanas e outro quarto de pessoas que viviam em áreas rurais nas bordas das cidades e que tiveram suas residências engolidas pelo crescimento urbano.

Brasil
O relatório afirma que o Brasil reduziu em 16% a população de habitantes de favelas. A porcentagem representa a proporção de habitantes das favelas em relação ao total da população urbana.

A fatia de pessoas que moram em favelas diminuiu de 31,5% para 26,4% em dez anos devido a adoção de políticas econômicas e sociais, a diminuição da taxa de natalidade e da migração do campo para a cidade.

Além disso, a criação do Ministério das Cidades, a adoção de uma emenda constitucional afirmando o direito do cidadão à moradia e os subsídios de materiais de construção, terrenos e serviços são apontados como responsáveis pela mudança.

Dos países pesquisados, o Brasil é o quarto que mais reduziu a porcentagem da população nas favelas, atrás apenas de China, Índia e Indonésia.

Porém, segundo os autores do relatório, como houve um crescimento da população brasileira como um todo, em números absolutos a quantidade de favelados aumentou. No ano 2000, eles eram 44,6 milhões e em 2010, a estimativa dos pesquisadores é que eles atinjam 46 milhões.

Topo