Decoração de ambientes

Valor gasto pelos brasileiros com móveis sobe 57% em dez anos

São Paulo - O gasto dos brasileiros com móveis subiu 56,8% entre 2001 e 2011, sendo que a nova classe média é a que mais contribuiu para o crescimento.

No ano passado, a nova classe média teve contribuição de 46,5% no resultado sobre a distribuição dos gastos com móveis no Brasil, desembolsando um total de R$ 19,4 bilhões. Em seguida, aparecem a alta renda, com representação de 33,8% e gastos de R$ 14,1 bilhões, e a baixa renda, com 19,7% ou R$ 8,2 bilhões.

Maior investimento
De acordo com a pesquisa “Relação dos Brasileiros com o lar e os móveis”, realizada pelo Data Popular e divulgada nesta segunda-feira (26), a sala é o ambiente que mais recebe investimento na hora de comprar os móveis, sendo escolhida por 48,6% dos entrevistados.

O segundo cômodo que mais gera investimento dos consumidores é o quarto, opção de 34,3% dos respondentes.

Em seguida, aparecem cozinha (9,7%), quarto dos filhos (4,4%), banheiro (1,6%) e escritório (1,4%).

As mulheres investem mais em móveis para a cozinha (12,8%), quarto dos filhos (5,1%) e banheiro (1,7%), enquanto os homens gastam mais com a sala (51,5%), quarto (34,6%) e escritório (2,2%).

Brasileiros e os cômodos
Segundo o levantamento, realizado com 18.356 pessoas de todo o País, 48,7% dos respondentes da pesquisa gostam de passar a maior parte do tempo no quarto, enquanto 34,9% gostam mais de ficar na sala.

Em seguida, aparecem a cozinha (8,6%), escritório (7,2%), quarto dos filhos (0,5%) e banheiro (0,1%).

As mulheres passam mais tempo na cozinha (14,1%), no quarto dos filhos (0,8%) e no banheiro (0,2%) do que os homens, com 2,9%, 0,2% e 0,1% das menções. Já os homens ficam mais na sala (39,9%) ou no escritório (9,9%) do que elas.

Topo