Casa e decoração

Feira de luxo traz peças decorativas com brilho e móveis dourados

CHRIS CAMPOS

Colaboração para o UOL

Luxo pouco é bobagem na Feira Abimad (Associação Brasileira das Indústrias de Móveis de Alta Decoração), que acontece de 24 a 27 de fevereiro no Centro de Exposições Imigrantes, em São Paulo (SP). A mostra, como o nome já diz, é focada no mercado de lojas de alto padrão, que abastecem casas e apartamentos do mesmo nível.

Em uma voltinha pelo evento, fechado para o consumidor final, alguns fatos ficaram bem claros. Um deles é que sempre haverá mercado para peças de linhas básicas, tecidos lisos e sem surpresa alguma no design. O pavilhão de entrada é praticamente exclusivo de estandes recheados de móveis com essas características. Ok, básicos resolvidos. Antes que eu morresse de tédio, resolvi conferir as surpresas por trás dos tapumes anunciando as logomarcas de cada fabricante ou importador.

Peças vindas do Oriente são muito cobiçadas no mercado de alto luxo. Portanto segui logo para a Wharehouse, uma das grandes do gênero. Por lá encontrei mandalas de pedra, futons tailandeses, máscaras orientais aos montes, lindos móveis feitos com fibra de coco prensada (muito ecológico) e, para meu deleite, vassouras piaçavas marroquinas. Não consegui imaginar uma madame varrendo o chão da varanda com uma dessas – o que certamente me daria muito prazer. Fica, portanto, como mais uma dica de acessório decorativo.

Surpresa número 2: descubro que Dubai é aqui mesmo nos trópicos. Tenho certeza ao avistar os móveis pintados de dourado e prata no estande da Modali – que também ostentava cadeiras com estofado de pelúcia com imagens de estrelas de cinema, como Audrey Hepburn. Alguns passos adiante sinto que estou em uma Disneylândia decorativa. Pufes de pelúcia com estampas de onça, frutas gigantes de madeira (pinceladas em tons de dourado e prata, de novo!) e móveis clássicos com estofados de bolinha que poderiam perfeitamente ladear a mesa de chá do encontro de Alice com o Chapeleiro Maluco no País das Maravilhas. Lustres palacianos, com pelo menos 30 lâmpadas cada um (nada ecológico) e tapetes imitando um chão de pedras polidas em um bosque de sonhos também puderam ser avistados por lá.

Mas foram as poltronas da Artsan que me fizeram suspirar como se estivesse à frente da vitrine da Chanel. Decoração com jeito de alta de costura, com direito a incrustações de cristais Swarovski e recortes nas “costas” dos móveis, que ganharam ares de vestidos de festa. Isso sem contar a profusão de brilhos: em almofadas incrementadas com lantejoulas gigantes, nas luminárias e nos acessórios decorativos. Mostra de luxo é assim mesmo, tem de brilhar muito para chamar a atenção dos convidados.

Chris Campos é jornalista e editora do site Casa da Chris (www.casadachris.com.br)
 

Topo