Casa e decoração

Espírito otimista marca peças apresentadas na Craft Design

CHRIS CAMPOS

Colaboração para o UOL

A 16ª edição da Craft Design, que aconteceu de 26 de fevereiro a 1 de março no Centro de Eventos São Luis, em São Paulo, foi uma das mais felizes da história do evento, restrito a profissionais da área. Bom tamanho, tudo organizado e atrações decorativas com um ponto muito importante em comum: otimismo. Das frases bem-humoradas, estampadas nos panos de prato do Coletivo Amor de Madre, a invenções inusitadas, como uma luminária feita com um desses utensílios de cozinhar alimentos no vapor, não faltaram surpresas nesta mostra – que figura entre as queridinhas do público.

Vale a pena destacar a linha de peças inspiradas na versão da Disney para o clássico “Alice no Pais das Maravilhas”. Aninha Strumpf (que até pouco tempo pilotava a loja Garimpo + Fuxique) colocou seu talento em ação e criou uma coleção que inclui poltronas, almofadas, paninhos e louças em parceria com a ONG Orientavida. Capricho traduzido em detalhes que aparecem principalmente nas peças bordadas à mão.

Atitudes caprichosas refletem otimismo, cuidado com os dias vindouros. E ele também esteve presente na profusão de frases e palavras inspiradoras exibidas nos itens apresentados nesta edição da Craft. “All you need is love”, “Sorte”, “Proteção”, “Amor”, “É tudo divino e maravilhoso”... Só para citar algumas. Otimismo também pode ser traduzido em bom-humor, explícito em objetos como o cofre em formato de cabeça de Buda da Divinites, na toalhinhas de mão embrulhadas como cupcakes da Lumy, nos adesivos do tipo “monte como quiser” da Lorota (os adesivos vêm em pedacinhos e você cria as imagens como bem entender) e também nas luminárias da estreante Admiración, que trouxe para a mostra versões em formato de galinha (com lâmpadas no lugar dos ovos) e ainda cúpulas feitas a partir de acessórios de cozinha.

A delicadeza também teve espaço garantido nesta mostra. Fronhas que pareciam saídas de alguma casa da Provence, velas com adesivos de florzinhas e ar de antigamente, luminárias em forma de flor de lótus, corações emoldurados, borboletas nas lindas bandejas da grife fancesa La Marelli e os tapetes da Junco entram nessa lista. Ainda teve espaço para o lúdico, o divertido. Talvez um sinal de que nunca precisamos tanto de uma pitada de brincadeira, da singeleza da infância para equilibrar nosso atribulado dia-a-dia. Esculturas de resina que reproduzem dinossauros, fruteiras em formato de forma de bolo (já amassadinhas de fábrica) e os tricôs da Zizi Maria, que remetem à casa da avó, são refrescos bem-vindos nesses tempos corridos. Que nos fazem prestar atenção aos detalhes e sentir o gostinho do prazer de, às vezes, ir um pouquinho mais devagar. Nem que seja só por alguns instantes, preferencialmente no exato momento em que você chega ao seu lar-doce-lar.

Chris Campos é jornalista e editora do site Casa da Chris (www.casadachris.com.br)
 

Topo