Casa e decoração

Moradores de Cubatão (SP) esperam acordo para deixar áreas ocupadas irregularmente

Moacyr Lopes Junior/Folha Imagem
Operarios fazem a demolicao de casa no Grotão, bairro que sofreu invasao na Serra do Mar imagem: Moacyr Lopes Junior/Folha Imagem

Da Agência Brasil

Moradores da região serrana da cidade de Cubatão (SP) esperam fazer um acordo com o governo estadual para deixar áreas ocupadas irregularmente. Desde o dia 26 de fevereiro, pessoas que moravam em áreas de risco na serra do Mar, no município, começaram a ser transferidos para apartamentos da CDHU (Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano) em municípios vizinhos.

"Estamos tentando ver se a gente consegue uma bonificação, uma indenização, uma ajuda para ser descontada no apartamento. Se eu gastei R$ 30 mil ou R$ 40 mil na minha casa, eles dariam esse valor na carta de crédito, para ser descontado no apartamento", afirma o vereador de Cubatão e morador do bairro Cota 200 Francisco Leite da Silva.

As primeiras famílias transferidas receberam subsídio do governo do Estado para o financiamento dos apartamentos do CDHU. Quem ganha menos de três salários mínimos vai pagar 15% de seus rendimentos.

A remoção das famílias faz parte do Programa de Recuperação Socioambiental da Serra do Mar, do governo estadual, que prevê o deslocamento das famílias e a urbanização de comunidades.

Segundo Silva, ainda não há uma data exata para remover a maioria das pessoas que moram no local. A previsão é de que 5.350 famílias sejam retiradas das áreas de risco ou preservação ambiental até 2012.

Nas décadas de 40 e 50 do século passado, os canteiros de obras instalados às margens da rodovia Anchieta-Imigrantes --que liga a capital paulista ao município de Santos (SP)-- deram origem, à ocupação na região de serra.

A partir da ocupação irregular, formaram-se as comunidades dos bairros Cota 95, Cota 200, Cota 400 e Água Fria. A maioria dos moradores é descendente dos operários que trabalharam na construção das rodovias.

Topo