Casa e decoração

Jardinagem em vasos leva verde para quem tem pouco espaço

ANTÔNIO SAMPAIO

Colaboração para o UOL

Seja por limitação de espaço ou por uma questão de praticidade, a jardinagem com vasos é uma boa forma de criar um espaço verde na sua casa ou em ambientes comerciais. Especialmente adequada para apartamentos ou casas com pouca (ou nenhuma) área verde, ela não requer obras e oferece um efeito mais rápido e versátil do que o paisagismo em canteiros – porém, requer algumas atenções diferenciadas.

A adequação das plantas ao ambiente é fundamental para o sucesso de um jardim de vasos. Ao escolher a planta, tenha em mente se o local em que ela permanecerá recebe luz direta ou é sombreado, se é coberto ou ao ar livre, se recebe vento, se é úmido ou seco. Essas informações servem de guia para escolher a vegetação correta.

Leve em conta também que, mesmo as plantas mais adaptadas aos ambientes sem luz e fechados precisam, em algum momento, passar uma temporada ao ar livre para se revigorar e se reidratar, principalmente se ficarem expostas ao ar condicionado, que as resseca.

A planta deve também estar adequada ao seu vaso e vice-versa. Um vaso muito pequeno pode provocar atrofia da raiz, o que prejudica o desenvolvimento da planta. Já um vaso muito grande pode ficar desproporcional e desvalorizar o arranjo. Algumas plantas, como as suculentas, pedem vasos rasos e largos. Já as dracenas, por exemplo, precisam de vasos mais profundos.

Outro fator importante é o acabamento do vaso e o material do cachepô, que podem variar conforme o efeito que se pretende dar, mas devem ser adequados ao ambiente e às intempéries a que serão expostos. Há materiais e vernizes que não resistem bem à umidade ou à luz do sol, por exemplo, e podem empenar e trincar.

Tenha em mente que a terra nos vasos se desgasta e fica exaurida mais rapidamente do que em canteiros. É preciso ter o cuidado de acrescentar adubação química e orgânica em quantidade e periodicidade corretas, pois o excesso desses nutrientes também é prejudicial.

A rega das plantas é essencial -- a frequência e a quantidade de água variam de espécie para espécie -- e a drenagem é igualmente importantíssima, para que as raízes não apodreçam. Certifique-se de que os vasos têm orifícios na parte de baixo para que a água possa escorrer. Em interiores, é preciso colocar um prato sob os vasos e cachepôs para que o excesso não caia no piso. E lembre-se de nunca deixar água acumulada, para evitar a proliferação de insetos.

Topo