Casa e decoração

Conheça a Casa Aqua, um modelo de habitação sustentável e de baixo custo

DULCE ROSELL

Da Redação

Uma obra que equilibra soluções construtivas de baixo impacto ambiental, é barata, confortável, bonita e coerente com o entorno urbano. Basicamente é isso o que pode tornar uma construção sustentável, acessível à população de baixa renda - e certificada com o processo Aqua. Para visualizar este tipo de projeto, profissionais da construção podem ir à Ambiental Expo (Feira Internacional de Equipamentos e Soluções para o Meio Ambiente) até o dia 29 de abril no Pavilhão de Exposições Anhembi, em São Paulo.

Chamado Casa Aqua, o projeto de habitação tem 40 m², custou R$ 40 mil e foi projetado pelo arquiteto Rodrigo Mindlin Loeb em parceria com a Fundação Vanzolini, a Leroy Merlin e a Inovatech. Ele integra vários sistemas e possui o certificado Aqua, emitido pela Fundação Vanzolini.

Presente no Brasil desde 2007, a certificação requer o atendimento de 14 categorias que visam a boa qualidade e a coerência do projeto arquitetônico em relação ao programa de necessidades e ao contexto sócio-econômico-ambiental e à infraestrutura urbana do local. Por isso, para um edifício ou conjunto habitacional conseguir a certificação, precisa cumprir itens que controlam, inclusive, se há espaço na cozinha para os eletrodomésticos e se a pia e bancada estão na altura correta.

Os materiais utilizados na Casa Aqua, segundo o engenheiro da Inovatech Luiz Henrique Ferreira,  um dos desenvolvedores do protótipo, atendem às exigências da certificação, pois têm o poder de diminuir o impacto das construções no meio ambiente e proporcionar mais conforto e bem estar ao usuário. "Na casa há sistemas reais, já utilizados no Brasil, como o de reaproveitamento de água de chuva, os equipamentos que reduzem o consumo de energia, a utilização de energia solar e de produtos e materiais recicláveis. Unimos essas soluções numa casa e pretendemos demonstrar que a preocupação com a sustentabilidade e a certificação de um projeto não são necessariamente dispendiosos. Se o projeto for bem executado e racionalizado, o custo da construção sustentável pode ser similar ao de uma edificação convencional, sem aumento de custo de construção”, afirma.

Existem no Brasil outras certificações, como o LEED, realizado pelo Green Building Council Brasil (GBC Brasil) com base no sistema do norte-americano US Green Building Council, mas adaptado para as condições brasileiras. Atualmente o GBC Brasil trabalha para propor um projeto de regionalização da certificação LEED no Brasil.

Dezoito empreendimentos já aderiram à certificação Aqua. Segundo Bruno Casagrande, da área de negócios da Fundação Vanzolini, os itens para a seleção de futuros empreendimentos certificados são baseados em critérios de desempenho e exigem também um sistema de gestão do empreendimento, a fim de controlar o projeto em todas as fases, incluindo a avaliação por auditoria presencial. "O certificado é emitido pela entidade em cada uma das três fases da construção (programa, concepção e realização)", completa.

Topo