Casa e decoração

Prefeitura de São Paulo divulga finalistas da licitação para o projeto da Nova Luz

DULCE ROSELL

Da Redação

A prefeitura de cidade São Paulo divulgou dia 1º de maio a lista dos finalistas da licitação para o Programa de Requalificação Urbana da Nova Luz, no centro de São Paulo, a partir de análise da proposta técnica dos participantes, realizada pela Secretaria de Desenvolvimento Urbano.

Os consórcios Concremat/City/AECOM/FGV -- composto pelas empresas Concremat Engenharia, Companhia City, AECOM Technology Corporation e Fundação Getúlio Vargas -- e Nova Luz -- das empresas Logos Engenharia, RTKL Associates, Piratininga Arquitetos Associados e Arcadis Tetraplan -- obtiveram, respectivamente, 81,3 e 75 pontos e estão concorrendo à execução de um projeto de reurbanização para o bairro da Luz, a um custo máximo de R$ 11,8 milhões. Outros três  escritórios inscreveram suas propostas de participação e estavam na concorrência.

Além da construção de um bairro totalmente novo, o consórcio vencedor ainda deverá elaborar um plano de urbanização da Zeis (Zona Especial de Interesse Social), os estudos de viabilidade econômica e financeira, um estudo de impacto ambiental na região e o plano de comunicação do processo. 

Degradada e ocupada por traficantes e usuários de drogas, a área conhecida como cracolândia é alvo de debates já há algum tempo. É na Luz, por exemplo, que deve ser implantado o Teatro de Dança, dos escritório suíço Herzog e de Meuron, cuja contratação pela prefeitura sem concurso levanta polêmica entre os profissionais brasileiros.

Os consórcios não classificados têm cinco dias para recorrer da decisão, de acordo com informações da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano. Se não for registrada nenhuma queixa, a prefeitura de São Paulo deve anunciar o resultado final da licitação na próxima semana. As empresas vencedoras terão dez meses para o desenvolvimento do plano geral.

A prefeitura prevê ainda construir conjuntos habitacionais e uma escola técnica na mesma região e pretende investir até R$ 12 milhões com a elaboração do projeto urbanístico e com a revitalização. O início das obras está previsto para 2011.

Topo