Casa e decoração

Quartos de bebê: aconchego, higiene, segurança e estímulo

Divulgação
Quarto de bebê decorado pelas arquitetas Cristina Barbara e Milena Purchio, com mobiliário da Q&E Bebê imagem: Divulgação

SILVANA MARIA ROSSO

Colaboração para o UOL

A cada temporada, os projetos de quartos de bebê assumem mais as tendências do design e distanciam-se dos tradicionais tons pastel e poltroninhas de estilo bergére. Os tons neutros ainda predominam para garantir versatilidade ao ambiente, que muda a cada fase da criança, aparecendo nas tintas de tonalidade off-white usadas em contraste com cores marcantes, ou em composições sutis, ora dando maior conforto, ora proporcionando o estímulo necessário para o desenvolvimento desse serzinho tão delicado.

Como a relação entre a mãe e o bebê nos primeiros anos é totalmente simbiótica, o primeiro quarto da criança acaba planejado para atender a ela e os gostos dela. "Por isso, hoje, é bastante comum que o espaço acompanhe a decoração da casa e o estilo materno", diz Anna Maria Rezende, arquiteta, coordenadora do curso de design de interiores da Faculdade Anhembi Morumbi.

A preocupação com a saúde do bebê já faze parte do universo da decoração e também interfere no resultado final do ambiente. Cada vez mais especializadas, as empresas dispõem de maior número de produtos para essa faixa etária, oferecendo materiais macios e de fácil limpeza, assim como peças que não machucam a criança.

Com a onda de sustentabilidade e do não-desperdício, os móveis de família voltaram a ser valorizados, e ganham destaque junto a peças novas. O trio berço, cômoda-trocador e poltrona marca presença na maioria dos projetos, sendo complementado nos dias atuais pela cama da babá, figura cada vez mais presente na vida das crianças.

Topo