Casa e decoração

Autobiografia do arquiteto japonês Tadao Ando é lançada no Brasil

Tadao Ando Arquiteto e Associados / Divulgação

SIMONE CAPOZZI

Editora de UOL Casa e Imóveis

"Nasci em 1941, em Osaka. Aprendi arquitetura autodidaticamente e, em 1969, abri o escritório Tadao Ando Arquiteto & Associados". É assim, com essa concisão, que o japonês Tadao Ando abre seu currículo. A apresentação é direta e honesta, como o é sua autobiografia, publicada no Japão em 2008 e agora lançada no Brasil, pela Bei Editora.

O texto de Ando, traduzido por Jefferson José Teixeira, é surpreendentemente agradável de ler. O arquiteto conta como foi criado pelo avó, comerciante, que não cobrava dele boas notas e ainda o incentivava a brincar, embora fosse rígida no que se referia a valores: "cumpra suas promessas, respeite os horários, não minta, não invente desculpas".

Conhecido na vizinhança como Tadao, o briguento, não espanta que, aos 17 anos, Ando tenha obtido licença de boxeador profissional. Chegou a ser remunerado para lutar. Mas a visita do campeão japonês da época à academia onde treinava o forçou a ver que seu futuro não estava no esporte.

Do boxe à arquitetura

A primeira experiência de Ando com algo ligado à arquitetura foi durante a infância, quando brincava na marcenaria do distrito onde vivia. Ele conta como imitava os marceneiros, desenhava e produzia objetos simples, como pontes e barcos. Mais tarde, ajudou o carpinteiro na reforma para acrescentar um pavimento em sua casa. "Ao abrir um buraco no teto, uma luz branca penetrou através da casa escura e úmida. Pela abertura, podia-se ver em destaque o céu azul. Meu coração infantil sentiu uma profunda emoção".

Sem dinheiro para cursar a faculdade - e também impaciente demais para frequentar aulas - Tadao Ando começou a estudar sozinho. Diz que só encontrou respostas em um livro de Le Corbusier, comprado em um sebo. Sem saber francês, copiou os desenhos até memorizá-los.

Aos 23 anos Ando viajou pelo Japão para conhecer as obras Kenzo Tange, um dos maiores nomes da arquitetura moderna japonesa. Em 1964, quando o Japão liberou viagens ao exterior, Ando largou um bom trabalho como desenhista de interiores para viajar à Europa. No final da década de 1960, aos 28 anos, com sua companheira Yumiko Kato, abriu seu escritório.

A partir desse ponto, Ando passa a tratar de sua arquitetura. Do projeto de residências como ponto de partida, o antagonismo entre arquitetura e o seu entorno urbano, suas razões para escolher o concreto. Globalização, meio ambiente e o "espírito japonês" também compõem suas reflexões.

A autobiografia de Tadao Ando é um livro que interessa não apenas aos amantes da arquitetura. A personalidade do autor, nascido em um Japão derrotado e empobrecido na Segunda Guerra, e sua trajetória até o Olimpo da arquitetura (o arquiteto recebeu o prestigioso prêmio Pritzker em 1995) valem a leitura.

Serviço:
Tadao Ando, Arquiteto
Autor: Tadao Ando
Tradução: Jefferson José Teixeira
Editora: Bei Editora
Páginas: 372
Formato: 13 cm x 17 cm
Preço: R$ 70

Topo