Últimas de Estilo de vida

Faxina de fim de ano: dicas para saber o que, quando e como jogar fora

VLADIMIR MALUF

Da Redação

Está chegando a hora de dar um trato na casa para começar 2011 com a vida em ordem. As coisas que se acumularam durante o ano ou foram substituídas por outras e esquecidas precisam de um rumo que, muitas vezes, pode ser as mãos de alguém que precisa. Mas até para começar a limpeza é preciso um planejamento, de acordo com a organizadora profissional Cristina Papazian. Por isso, ela dá dicas para fazer a tradicional faxina de final de ano.

Para começar, separe as tarefas por cômodos. Faça uma lista das tarefas necessárias e vá riscando conforme forem executadas. Mas lembre-se: ataque um problema de cada vez, sem desespero. “Não adianta, por exemplo, esvaziar o armário para arrumar tudo em um dia. Quando o trabalho estiver no meio, você terá se cansado e vai recolocar tudo de qualquer jeito, deixando-o pior do que já estava”, avisa Cristina. “Pegue uma gaveta e a organize. Se estiver com ânimo para continuar, parta para a segunda. Do contrário, retome a tarefa depois.”

Se você tem aquelas bolsas do tipo ecobags, elas serão muito úteis agora. “Você pode deixá-las no porta-malas do carro com alguns itens”, diz Cristina, que exemplifica: “Em uma, você coloca calçados que precisam ser levados ao sapateiro. Em outra, roupas para doação. Na terceira, presentes de Natal que precisam ser trocados... Assim, quando passar perto do lugar onde os itens precisam ser deixados, você faz uma parada e resolve o problema.”

Cristina Papazian comenta uma série de itens que, segundo ela, costumam se acumular nas casas.

Sala

- Fitas de vídeo cassete mofam e ficam inutilizadas. Se você está prometendo há anos que vai mandar converter para DVD e não manda, melhor dar um fim nelas de uma vez: ou converte ou joga fora;

- Faça uma limpa nos CDs. Despache os que você sabe que nunca mais vai ouvir. Para os outros, a dica é digitalizar tudo e armazenar em um tocador de MP3. Dá trabalho, mas apenas uma vez. Vai ser muito mais fácil ouvir música daqui por diante;

- Retire o acúmulo de revistas e jornais. Se você tem dó de jogar fora uma revista por causa de uma matéria interessante, recorte a página e coloque em uma pasta. Faça isso com todas as outras edições velhas.

Quarto e banheiro

- Dê uma olhada na gaveta onde ficam as meias, roupas íntimas, maiôs, sungas e biquínis... Essas coisas, quando não são mais usadas, acabam ficando esquecidas e tomam espaço. Descarte-as;

- Seu travesseiro tem mais de dois anos? É hora de trocar. Mesmo que você tenha o hábito de lavá-lo, ele acaba acumulando micro-organismos;

- Aquela roupa que você sente pena de doar, apesar de fora de moda, precisa sair do guarda-roupa. Ela atrapalha a organização e pode até estragar peças novas, pois, parada muito tempo, pode mofar e contaminar o que está pendurado ao lado. Doe. O mesmo vale para as roupas e brinquedos das crianças;

- A calça jeans que você usou quando pesava cinco quilos a menos também precisa de um novo destino. Quando você emagrecer e estiver com a auto-estima lá em cima, não vai querer usar roupa velha e fora de moda, certo?  Repasse para quem precisa;

- Faça, também, uma revisão nas roupas de cama, cobertores, panos de prato, toalhas de mesa e de banho. Avalie se você tem coisas demais e que não usa, ou se estão muito velhos. Os panos de prato, por exemplo, podem ser rebaixados a panos de limpeza;

- Dê uma olhada nos produtos de beleza. Eles têm data de validade. Os cremes que você não usa há anos já perderam a eficácia e só ocupam espaço. A maquiagem esquecida na gaveta pode até provocar alguma reação na pele. Despeça-se;

- Se você tem eletrônicos que estão quebrados e o custo de manutenção é alto demais, doe para uma instituição de caridade. Esses órgãos costuram ter pessoas que arrumam e reutilizam esses equipamentos;

Cozinha e área de serviço

- Os potes plásticos devem ser renovados a cada dois anos. E é comum ter muito mais do que o necessário. Para escolher quais devem ir para a reciclagem, comece pelos que estão embaçados. É sinal de que já passaram da hora de dar tchau. Depois, veja os rachados e que não vedam bem e mande embora sem dó;

- Se você comprou um liquidificador novo, doe o velho. Você não  vai precisar dele. Os eletrodomésticos usados podem ser muito úteis para quem não tem nenhum. Também não leve a batedeira antiga para a casa da praia. Lá é um lugar para relaxar, não um depósito. E, convenhamos, se você não bate bolo frequentemente durante o ano, não será nas férias que o fará;

- Faça uma limpa nos copos de requeijão, potinhos de comida pronta do supermercado ou de sorvete. Essas coisas todas acumulam sujeira e você não precisa delas. Junto com esses itens, dê um fim nas panelas sem cabo, no aposentado filtro de barro, potinhos de margarina e tudo que não for mais útil;

- Faça uma lista com os itens que estão faltando na cozinha e pregue-a na geladeira: as colheres de café que se perderam, o copo que foi quebrado e deixou o jogo desfalcado, um abridor de latas novo... Todas essas coisas são vendidas avulsas nos supermercado;

- Livre-se dos produtos de limpeza vencidos, do pano de chão que ficou cinza, do balde rachado e dos prendedores de roupas quebrados. Pegue uma sacola e vá juntando tudo. E se for comprar um balde novo, os de silicone são ótimos. Mais fáceis de guardar e não quebram.

Escritório

- Livros usados têm de ser doados. Muitas escolas fazem campanhas de arrecadação para alunos carentes. O mesmo vale para os uniformes que não servem mais nas crianças, materiais que sobraram ou a mochila que foi substituída. Outro estudante com certeza não tem;

- Livre-se da sua coleção de celulares ultrapassados. Já que você não resiste ao modelo novo, ao menos não acumule isso em casa. Doe, junto com seus respectivos carregadores e outros apetrechos. Aproveite e desprenda-se do computador encostado, o notebook velho, teclados, mouses, caixinhas de som... Se você comprou um novo, nunca mais vai usar o velho. Repasse!

Contas, recibos, garantias

Nos primeiros meses do ano, fornecedores públicos e privados de serviços começam a enviar o recibo anual de quitação de contas do ano anterior. Em posse dele, você não precisa mais guardar um monte de papéis para comprovar o pagamento de dívidas. De acordo com Mariana Ferreira Alves, advogada do Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), o envio desse comprovante é obrigatório.

"Se essa declaração não for enviada, o consumidor deve entrar em contato com a empresa e exigir o  documento. Se não tiver retorno ou se a empresa se recusar a enviar, o Idec recomenta que o consumidor entre em contato com o Procon e exponha o problema". Veja até quando guardar cada comprovante, segundo o Idec:

Tributos municipais, estaduais e federais:  5 anos
Água, luz, telefone e gás:  5 anos
Assistência médica:  5 anos
Mensalidades escolares:  5 anos
Honorários de profissionais liberais:  5 anos
Faturas de cartão de crédito: 5 anos
Condomínio: 5 anos
Juros do cartão de crédito: 3 anos
Aluguel: 3 anos
Seguros em geral: 1 ano
Despesas em hotéis: 1 ano
Financiamento de imóvel: até o registro da escritura
Consórcio: até que a administradora oficialize a quitação e a transferência do bem para o nome do comprador
Bens duráveis: durante toda a vida útil do produto

Descarte corretamente

Depois que perceber que o volume de coisas de que você não precisa é grande, é hora de pensar em produzir menos lixo. Comprar menos e reutilizar, ao invés de jogar tudo fora, são medidas tão importantes quanto a reciclagem. Para saber onde há postos de coleta seletiva de lixo, procure a prefeitura da sua cidade. 

Topo