Casa e decoração

Passeio temático leva visitantes a construções da arquitetura moderna paulistana

EDUARDO VESSONI

Colaboração para o UOL

Os tempos modernos deram a São Paulo traços novos que nem sempre agradam aos mais tradicionais: construções introvertidas cujas fachadas não são prioridade, amplas áreas livres e o abuso do concreto aparente que valoriza a estrutura. Essa espécie de poesia concreta incompreendida parece estar na moda outra vez (se é que alguma vez conseguiu sair de cena) e virou tema de um interessante passeio pela capital.


Promovido pela SP Bureau, empresa que realiza tours e viagens personalizadas pelas capitais brasileiras, o tour “Arquitetura Moderna Paulistana” leva os participantes para conhecer os ícones arquitetônicos da cidade. Mais do que avistar fachadas e ouvir uma infinidade de detalhes técnicos, o tour é uma oportunidade de acessar o interior de casas particulares e edifícios históricos como a Biblioteca Mário de Andrade, no centro de São Paulo. Recém-reformada, a construção projetada pelo francês Jacques Pilon em 1943 passou por uma respeitosa intervenção, que abrangeu a modernização dos serviços e aparatos tecnológicos de pesquisa e a restauração de parte de seu mobiliário.

“É um projeto que poderá ser tomado como referência entre outros desse nível, pois combina o uso de técnicas de restauro com a valorização de um edifício público e histórico já existente”, afirma Renata Semin, uma das arquitetas da Piratininga Arquitetos Associados, empresa que realizou as obras no local.

Outra parada de destaque do passeio é a Casa de Vidro, uma obra ousada de 1950 assinada por Lina Bo Bardi. Tombada em 1987 pelo Condephaat (Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Arqueológico, Artístico e Turístico), a casa serviu como residência para essa arquiteta italiana e seu marido Pietro Maria Bardi.

Para Fernanda Barbara, da empresa Una Arquitetos, essa é uma oportunidade que o visitante tem de voltar o olhar para construções de destaque na cidade como o prédio da FAU (Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) na USP, o Parque do Ibirapuera, o Sesc Pompéia e o MASP. “Cuida-se mal do nosso patrimônio e a arquitetura se encontra diluída em uma cidade que ainda tem questões urbanas muito mal resolvidas”, diz a arquiteta responsável pelo projeto de um dos estabelecimentos comerciais que também faz parte do passeio.

O tour, que tem duração média de quatro horas, variando de acordo com os interesses dos participantes, inclui ainda visitas a lojas cujos projetos arquitetônicos estão sob a orientação de renomados escritórios de arquitetura da cidade, além de entradas ao interior de casas particulares, como a Residência James King, uma construção elevada em meio a uma área verde de São Paulo, e assinada pelo premiado arquiteto Paulo Mendes da Rocha.

SERVIÇO
“Arquitetura Moderna Paulistana”

Os passeios são realizados em grupos agendados previamente, e têm duração média de quatro horas, de acordo com os interesses arquitetônicos dos visitantes.
Preço: a partir de R$ 500 (grupo de três pessoas)
Informações: (11) 3104-3577 www.spbureau.com

Biblioteca Mário de Andrade
Visitas monitoradas pelas salas da biblioteca acontecem às terças e às quintas em dois horários: 11h e 15h e devem ser agendadas por telefone. Entrada gratuita.
Avenida São Luis, 235, Centro, São Paulo (SP)
Informações: (11) 3256-5270 www.bma.sp.gov.br

Casa de Vidro
O tour com uma hora e 15 minutos de duração acontece de segunda a sexta, das 10h às 15h, e deve ser agendado com antecedência
Preço: R$ 10 por pessoa (os grupos devem ter ao menos cinco pessoas)
Rua Bandeirante Sampaio Soares, 420, Morumbi, São Paulo (SP)
Informações: (11) 3744-9902 www.institutobardi.com.br

Topo