Casa e decoração

Lula e a brasilidade são homenageados na Casa Cor em suíte com objetos pessoais do ex-presidente

Kátia Kuwabara/UOL
Suíte presidencial em homenagem a Lula, criada pela arquiteta Samia Sarayedine Testa e pela designer de interiores Renata Seripieri. Ambiente da Casa Cor 2011 - Casa Hotel (20/05/2011) imagem: Kátia Kuwabara/UOL

DAIANA DALFITO

Da Redação

“A busca pela simplicidade e a valorização do que é nacional”. Essa é a face do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e de dona Marisa Letícia que a arquiteta Samia Sarayedine Testa e a designer de interiores Renata Seripieri buscam retratar na “Suíte Presidencial” da “Casa Hotel”, mostra associada à Casa Cor. A exposição de arquitetura, decoração e design de interiores está em sua 25ª edição e abre ao público na próxima terça-feira (24).


Na trilha da benquerência nacional conquistada por Lula e Marisa, o espaço presta homenagem ao casal que ocupou o Planalto por oito anos. Esta é a primeira vez que um presidente inspira um ambiente do evento.

 

Com móveis, materiais e plantas tipicamente nacionais as profissionais também celebram a brasilidade. “Quando participamos do Salão do Móvel [de Milão], percebemos o quanto o tratamento que recebemos como ‘brasileiros’ é um reflexo da imagem que o país tem no exterior. Hoje há um grande orgulho em nos afirmarmos como ‘brasileiros’ e é desse sentimento que nasceu a ideia da homenagem”, afirma Samia.

“Somos [o Brasil] a bola da vez. Lula e a história que ele ajudou a traçar nesses anos são em parte responsáveis por essa nova visão, mais positiva, do país no exterior. E por essa mudança de perespectiva achamos que  o ex-presidente e dona Marisa seriam bons homenageados”, completa a arquiteta.


O espaço de 100m², composto por quarto, living, closet, sala de banho e varanda é predominantemente bege e aposta na sustentabilidade e na tecnologia. O piso é feito de bambu e as madeiras dos móveis são certificadas. Os tecidos também são naturais como o algodão, empregado no sofá do living, ou a palha de seda e linho que recobre as paredes.


Atentas às raízes humildes de Lula e Marisa, a arquiteta e a designer procuraram nos detalhes recordar o Nordeste. Um desses “drops do passado” está na cabeceira em couro trançado e que chama a atenção para o uso de texturas. O trabalho minucioso, depois de pronto, ganhou o aspecto de pequenas pastilhas cerâmicas.


Para o café da manhã, a escolha foi uma mesa em madeira com cadeiras em fibra natural e a varanda tem paisagismo assinado pelas profissionais e é realizado basicamente com bananeiras cedidas pelo paisagista Marcelo Faisal. “Buscamos manter a simplicidade e valorizar o que é nacional”, conta Renata.


Arte brazuca e objetos pessoais


A exaltação à brasilidade reúne ainda no ambiente artesanatos de várias partes do país e obras de artistas locais de diversas épocas como Victor Brecheret, Nazareno, Iran do Espírito Santo e Raul Mourão, que confeccionou o boneco que representa Lula e, até o início do ano, ficava no quarto presidencial no Palácio da Alvorada, em Brasília.


Além do “Lulinha” de pelúcia, outros objetos pessoais foram cedidos pelos homenageados para compor a suíte na Casa Hotel. A ex-primeira-dama ofereceu alguns de seus chapéus e um panamá do marido e Lula algumas camisetas e uma bola do Corinthians, seu time. Essas peças marcam a divisão do closet entre masculino (camisas de futebol) e feminino (chapéus).


Apesar de tão amadas por Lula, as camisas do Timão não são os objetos pessoais que mais impactam a face não-oficial do ex-presidente. Samia e Renata indicam a foto do casal, que fica ao lado da cabeceira, como o objeto mais emocional cedido por Lula e Marisa. “Aquela fotografia mostra a cumplicidade do casal”, concordam. Outras fotos, uma bola e um roupão da primeira dama também foram incorporados à vida do ambiente. Porém, os objetos pessoais não determinaram qualquer aspecto do projeto, todos foram adicionados posteriormente.


Tecnologia


Tema da 25ª edição da Casa Cor, a tecnologia foi incluída à “Suíte Presidencial” como base funcional. A porta de 3,4 m de altura dispõe de fechadura digital, sem maçaneta ou chave. O ambiente é automatizado e permite que iluminação, ar, banheira, cortinas, som e vídeo sejam controlados remotamente.


Duas TV´s estão dispostas no living e no quarto, esta embutida na porta de um armário. Outro “truque” bem sucedido são as caixas de som sobre o forro. Escondidas, elas não atrapalham a ambientação e ainda têm sua amplificação reverberada através do gesso que compõe o forro.


25 anos


A Casa Cor completa 25 anos e fica aberta ao público de 24 de maio a 12 de julho. Pelo sexto ano, a mostra se concentra no Jockey Club de São Paulo. Além do evento central, abrem para a visitação os ambientes das “Casas” Kids, Hotel e Talentos. A organização espera receber 200 mil visitantes.


Serviço
Casa Cor 2011
Quando: de 24 de maio a 12 de julho
Horário: terça a sábado – 12h as 21h30; domingos – 12h as 20h
Onde: Jockey Club de São Paulo (av. Lineu de Paula Machado, 1.075)
Informações: www.casacor.com.br

Topo