Casa e decoração

Casa Cor completa 25 anos e tem como tema a tecnologia

Marco Pinto/UOL
Banheiro Público Unissex da Casa Cor 2011, assinado pela arquiteta Mayra Lopes (24/05/2011) imagem: Marco Pinto/UOL

DAIANA DALFITO

Da Redação

Em 56 mil m², no Jockey Club de São Paulo, fica em cartaz de 24 de maio a 12 de julho a 25ª edição da Casa Cor. Neste ano, 106 ambientes distintos elaborados por 155 profissionais estão distribuídos em quatro mostras conjuntas, a própria Casa Cor, e as “Casas” Hotel, Talento e Kids.

A primeira e mais antiga das quatro agrupa os espaços naturais de qualquer residência como quarto, sala ou cozinha, mas também reúne “casas” inteiras e ambientes comerciais – ou corporativos.  A Hotel comporta suítes de design, muitas em homenagem a celebridades. Enquanto os jovens nomes da arquitetura e do design de interiores apresentam seus trabalhos na Casa Talento e os espaços infanto-juvenis se reservam à “Kids”.

É preciso fôlego para ver tantos e tão diferentes espaços, mas a grande quantidade de referências, cores, novas propostas e revisitações repaginadas de um mesmo cômodo convidam aos interessados pelo bem viver.

Este ano, a maior mostra de arquitetura, design de interiores, decoração e paisagismo da América Latina tem a tecnologia como o norte para seus ambientes.  O “Banheiro Público Unissex”, assinado pela arquiteta Mayra Lopes, explora bem essa proposta tecnológica.  

Em 17 m² , o  inusitado projeto conta com controle de luz e som via i-Pad segundo o sistema Savant que usa tecnologia Macintosh, da Apple. O espaço se baseia no outono e nas florestas e tem no chão um painel transparente recheado com folhas de bordo canadense.

No banheiro, a arquiteta também usou torneiras com sensor, bacias com caixa acoplada dualflux (possibilita descargas com volumes diferentes), porcelanato produzido com 20% de material reciclável e tintas compostas por uma porcentagem de garrafas PET.

Outro exemplo de reutilização das garrafas pode ser visto no Home Office da Casa Cor. Lá, as garrafas compuseram um forro esteticamente agradável e desenvolvido pelo designer de interiores Gustavo Jansen. “Queria algo com aspecto marroquino e os fundos de PET deram um bom resultado”, conta Jansen. O material levou apenas uma demão de tinta antes de ser utilizado.

Mais tecnologia... nos lofts

Como era de se esperar o Loft Tecnológico é um dos ambientes que mais se esmera no uso da automação residencial. Em um painel na parede do espaço gourmet é possível acompanhar os gastos de cada eletrodoméstico em uso. No banheiro, uma cabine de banho agrega entre outras regalias da técnica, uma conexão para o i-Pod.


Se engana porém, quem pensa que a tecnologia deve estar sempre ligada a uma ambientação minimalista ou futurista. O Loft assinado por Ana Bartira Brancante é basicamente composto em variações de cinza, marrom e verde e reserva como contraponto à modernidade carros, relógio e um pequeno projetor antigos.

Com “moderno” no nome, o loft concebido pelo artista plástico e designer Kiko Sobrino criou um ambiente versátil baseado na instalação de um móvel central de 6 m de comprimento que divide a morada em duas partes, íntima e social e concentra closet, roupeiro, home e cozinha. “O ‘Cuatro Stazzione’ resolve todo o espaço, ele concentra as funcionalidades dos ambientes”, diz.

Baseado nas cores branco e preto, “Loft do Homem Moderno” teve sua iluminação feita de forma cenográfica a partir de refletores Fresnel e luzes coloridas indiretas. No chão há quadros, um deles “Custo de Vida” criado por Sobrino a partir de recibos de compras com cartões de crédito ou débito.

Nas paredes, as molduras brancas salientam a rusticidade proposital das paredes, quando vazias, ou chamam a atenção para aplicação tecnológica das lareiras elétricas. Os aparelhos, instalados em um trio vertical dão cor e aquecem o ambiente.

Exposição - 25 anos

Além da tecnologia e dos nomes famosos que inspiram os ambientes da Casa Cor, a edição 2011 do evento reúne os momentos mais marcantes da mostra em uma retrospectiva desses 25 anos de existência. São ambientes, produtos e tendências que revelam um pouco da trajetória da Casa Cor. A curadoria é da arquiteta Olga Krell.  

Serviço

Casa Cor 2011
Quando: de 24 de maio a 12 de julho
Horário: terça a sábado – 12h as 21h30; domingos – 12h as 20h
Onde: Jockey Club de São Paulo (av. Lineu de Paula Machado, 1.075)
Informações: www.casacor.com.br
Quanto: terça a sexta: R$37,00; sábado e domingo : R$ 41,00; passaporte: R$70,00 (estudantes e idosos pagam meia entrada)

Topo