Casa e decoração

Em feira de decoração, Karim Rashid diz que só o design é capaz de diferenciar uma marca

André Cypriano/Folhapress
O designer Karim Rashid posa em seu apartamento em Nova York imagem: André Cypriano/Folhapress

SIMONE SAYEGH

Colaboração para o UOL

A palestra do designer egípcio-canadense Karim Rashid na House & Gift Fair, em São Paulo, defendeu a noção de que o design é o único e verdadeiro elemento de diferenciação de uma marca. Rashid fez sua apresentação comum dia de atraso, em 30 de setembro, porque estava em Nova York e só pode viajar a São Paulo quando os aeroportos reabriram após a passagem do furacão Irene.

Na palestra o designer deixou bem claro que o papel do profissional da área vai além de criar formas ou imprimir cores a objetos. Ele deve oferecer uma experiência humana melhor. “Em tudo o que eu faço sempre penso em como posso humanizar a peça a ponto de a interface tornar-se mais eficiente, mais fácil, enfim, melhor”, explica. Em seu trabalho predominam as formas orgânicas, mais amigáveis, semelhantes às formas da natureza. “Não existe uma linha perfeitamente reta na natureza, o mundo cartesiano está diminuindo para o bem do próprio homem”.

O design modela o futuro

Ao expor o ciclo de produção de um novo produto, Rashid explicou como o design é determinante para a construção do futuro: um produto só entra no mercado dois anos após da sua criação e, se realmente quebrar paradigmas, sua influencia se estende por até 10 anos. Mas de forma paradoxal, o maior objetivo do designer é suprimir os objetos da vida cotidiana, minimizar interações, acabar com os obstáculos. “Hoje, a tecnologia está evoluindo na direção da desmaterialização”, afirma.

Rashid trabalha para empresas que investem em design para todos, sem distinção cultural ou financeira –algo bem diferente do ambiente restrito em que se formou, na década de 1980. “Estamos passando do visual para o tátil, do ambiente 2D para o 3D, e, nessa passagem, a empresa que tiver medo de apostar no novo vai perder mercado”.

Como o mundo encolheu e a concorrência aumentou, essa escolha está nas mãos dos consumidores, que têm o poder de destruir ou eleger uma marca. “Os consumidores estão totalmente prontos para o novo”, diz.

Karim Rashid é um dos designers mais prolíficos de sua geração com mais de 3 mil projetos em produção, mais de 300 prêmios e trabalhos em mais de 35 países. Suas peças estão expostas em 20 coleções permanentes, como do MoMA de Nova York, além de participar de exposições em galerias de todo o mundo.

Topo