Casa e decoração

"Mixed-use", novo Ca'd'oro ocupa esquina onde ficava hotel dos anos 1950

Divulgação
Projeção esboça a fachada e a entrada do edifício comercial que abrigará, em seus andares superiores, o hotel Ca'd'oro. O empreendimento conta com duas torres, uma delas residencial imagem: Divulgação

Da Redação

Na esquina das ruas Augusta e Caio Prado, em São Paulo, por cerca de seis décadas, funcionou o Ca’d’oro. Desativado, o prédio do hotel aberto em 1953 dá lugar a um empreendimento de uso misto lançado no último dia 03.

O projeto prevê a construção de duas torres, uma residencial e outra comercial, que também abrigará uma nova versão do hotel.

  • Marco Pinto/UOL

    Suíte Diplomata, de Patrícia Anastassiadis, homenageia o Ca'd'oro na Casa Hotel 2011

De um total de 27 pavimentos, os nove últimos serão dedicados aos 147 apartamentos e áreas comuns do novo Ca’d’oro, enquanto os 18 andares inferiores vão ser ocupados por 387 salas comerciais de 26m2 a 38m2.

A Brookfield, responsável pela incorporação, promete piscina, academia panorâmica, sauna, SPA, lobby bar e restaurante. A administração do hotel fica com Aurélio Guzzoni, filho do criador do Ca’d’oro original.

Para os interessados no “morar”, a torre residencial terá 374 unidades distribuídas em 31 andares. As áreas úteis variam de 40m2 a 79m2  e o futuro morador pode escolher entre 11 opções de plantas.

Assim como nas dependências do hotel, o espigão de apartamentos terá áreas de lazer como piscina, enoteca, salão de jogos e de festas e academia.

A arquitetura de ambos é de José Lucena, enquanto o paisagismo ficou a cargo de Benedito Abbud.

Inspiração

A ambientação interna dos andares referentes ao novo hotel vai se inspirar no antigo Ca’d’oro.

O design de interiores é assinado por Patricia Anastassiadis que, na edição 2011 do Casa Hotel, prestou uma homenagem ao Ca’d’oro dos anos 1950 com a “Suíte Diplomata”. Porém, ao contrário do visto no ambiente apresentado na mostra, os espaços do novo hotel são contemporâneos.

Do mobiliário original, nada deve compor a estrutura do hotel. As peças foram leiloadas pela família Guzzoni, antiga proprietária do Ca’d’oro.

Topo