Design

Museu no centro histórico de Lisboa relembra o design de móveis e vestuário do século 20

Eduardo Vessoni/UOL
Uma das peças expostas no Mude, em Lisboa, é o sofá italiano Bocca, de 1971, criado pelo Studio 65 imagem: Eduardo Vessoni/UOL

Eduardo Vessoni

Do UOL, em Lisboa, Portugal*

Quem entra no galpão de paredes propositalmente envelhecidas, interior destruído e teto sem forro, em um primeiro momento, pode não se dar conta que está em uma área de exposição. Mas é neste espaço de arquitetura singular e que nega todos os padrões de um museu convencional que se está o Museu do Design e da Moda de Lisboa (Mude), em pleno centro histórico da capital portuguesa.

A instituição possui dois acervos que, juntos, abrigam mais de 2.500 peças como móveis, objetos do cotidiano, roupas, calçados e acessórios que relembram as tendências e a evolução da moda e do design no mundo ao longo do último século.

Devido ao espaço diminuto e ao grande número de obras, o museu costuma fazer um rodízio com as peças da exposição permanente. Durante a visita do UOL Casa e Decoração, no último mês de março, era possível rever peças de ícones fashion como o vestido vermelho de seda e pedrarias, do estilista italiano Valentino, ou outro com corpo de couro e mangas de penas assinado pelo francês Jean-Paul Gaultier, no final da década de 1990.

Entre roupas e sapatos, móveis singulares

  • Eduardo Vessoni/UOL

    Cadeira de 1950 do artista americano Donald Knorr utiliza materiais de baixo custo como folha metálica

Entre peças de roupas com desenhos arrojados e calçados de formato futurista, o destaque são as peças de mobiliário como o sofá italiano Bocca, criado pelo Studio 65, em 1971, e o banco de palha do francês Sam Baron, de 2008.

O Brasil está representado por obras como a estante de madeira de jacarandá de Joaquim Tenreiro, dos anos 1950, e a cadeira Vermelha, dos irmãos Fernando e Humberto Campana, design de 1993 que ficou conhecido, mundialmente, por sua estrutura de aço inoxidável coberta com 500 metros de corda.

A nova Lisboa da baixa

Mais do que uma homenagem aos variados estilos de desenhos de produtos, o projeto do Mude é uma contribuição para o processo de revitalização pelo qual a região da Baixa-Chiado, setor histórico de Lisboa, tem passado nos últimos anos.

O museu ocupa o galpão da antiga sede do Banco Nacional Ultramarino, um símbolo arquitetônico do bairro e que, desde a segunda década do século passado, já sofreu diversas intervenções estruturais como a do arquiteto Cristino Silva, em 1951, cujo projeto de ampliação unificou todo o quarteirão em um só edifício, totalizando uma área bruta construída com mais de 13 mil m².

Clássica e histórica, Lisboa também tem espaço para aqueles que se interessam em conhecer o lado mais moderno e arrojado da capital. O edifício que abriga o Mude é uma “viagem” curta, de pouco mais de cem anos, quase nada se comparada à idade das construções vizinhas da época de reis e navegadores, mas que não é menos interessante por isso.

Serviço

Museu do Design e da Moda de Lisboa - Mude

Onde: rua Augusta, 24 (Baixa Pombalina – Lisboa)
Quando: de terça a domingo das 10h às 18h (de 1º de outubro a 20 de maio) e das 19h às 20 (de 21 de maio a 30 de setembro)
Informações: www.mude.pt

* O jornalista Eduardo Vessoni viajou a Lisboa com o apoio do Turismo de Portugal (www.visitportugal.com) e do Turismo de Lisboa Visitors & Convention Bureau (www.visitlisboa.com)

Topo