Cozinha

Essencial na cozinha: veja como escolher o fogão ideal para sua casa

Getty Images
Se sua cozinha de poucos metros quadrados será planejada, o fogão embutido é uma boa alternativa imagem: Getty Images

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

Se estiver prestes a comprar um fogão, prepare-se para a infinidade de modelos, tamanhos, preços, acabamentos e funcionalidades disponíveis. De piso, de embutir, cooktop ou industrial? Com quatro, cinco ou seis bocas? Com forno simples ou duplo? Ah! Quanto mais as opções se multiplicam, maiores são as dúvidas.

Assim, para você que precisa ou quer trocar este eletrodoméstico essencial à cozinha, a melhor dica é pesquisar as vantagens e desvantagens de cada modelo e analisar suas necessidades antes de escolher o fogão ideal. Como essa não é uma tarefa fácil, criamos um roteiro para evitar erros comuns e fazer do seu fogão o equipamento mais bem aproveitado da casa. Veja!

Responda e avalie

1. Você gosta de cozinhar?
2. Qual o espaço disponível para o eletrodoméstico?
3. As refeições são preparadas para quantas pessoas e com qual freqüência?
4. Você costuma receber muitas visitas para almoços e jantares?
5. Que tipo de panela costuma usar?
6. Utiliza o forno regularmente?

Traçar um perfil do usuário e da rotina de uso do eletrodoméstico é iniciar a busca com foco e maior possibilidade de sucesso, segundo a arquiteta Flávia Soares, além de garantir a real utilização do equipamento. Conforme a gerente de marketing da Continental e Dako, fabricantes de fogões, Graziela Carmezini, o produto ideal alia à funcionalidade mais duas questões fundamentais: atender às necessidades de cada consumidor e ter preço justo e acessível. 

Estude o ambiente

O espaço disponível para a instalação deve ser observado antes que o eletrodoméstico seja adquirido, portanto tire a trena da gaveta e meça a altura, a largura e a profundidade do nicho reservado ao equipamento. “Opte por instalar o fogão ao lado da bancada de preparo para facilitar o cozimento dos alimentos”, orienta o gerente de marketing e e-commerce da Lofra, empresa especializada em fogões, Carlos Fleischfresser. Além de projetar o local para colocar o aparelho, é preciso prever onde ficarão outros itens como o forno de micro-ondas, a máquina de lavar louças e a geladeira.

  • Getty Images

    Se o ambiente for pequeno, o fogão de quatro bocas é uma boa saída

Se você ou outro morador da casa adoram cozinhar e possuem uma grande área livre, uma alternativa é investir em um fogão industrial ou semi-industrial, que são de alta durabilidade e potência. Porém prepare o bolso: o custo de um industrial é bem mais elevado se comparado a um modelo convencional. Agora se o local é pequeno, o ideal é se limitar a um fogão de quatro bocas de piso, de embutir ou de mesa.

Os tipos de fogão

De piso: com grande variedade de modelos no mercado a preços acessíveis, o fogão de piso funciona a gás e pode ter um ou dois fornos embutidos. De quatro a seis bocas, este tipo, mais convencional, é ideal para a substituição de produtos já existentes, sem a necessidade de alterar a paginação do ambiente. Para ajudar na limpeza do chão da cozinha onde o eletrodoméstico se encontra, prefira os que contenham os pés mais altos.

De embutir: se sua cozinha for planejada, o conselho é investir em um fogão embutido. “Além de ser uma boa opção para ambientes menores - e comumente visto nas cozinhas em estilo americano - embutir este e outros eletrodomésticos pode tornar o cômodo mais atraente e receptivo”, sugere Carmezini.

Porém, apesar de possuir esta vantagem estética em relação ao fogão de piso, saiba que na hora de uma próxima substituição, o novo modelo deverá ter as mesmas dimensões do antigo para que o encaixe no nicho fique perfeito, restringindo as escolhas futuras.

De mesa: chamados de cooktops ou dominós (modelos com uma ou duas bocas), a principal vantagem deste modelo é a sua versatilidade. Instalado sobre uma bancada e de tamanho reduzido por não possuir o forno embutido, o fogão de mesa é uma ótima saída para cozinhas de poucos metros quadrados. “Em uma cozinha planejada, a escolha por um cooktop também permite aplicar o forno embutido em uma posição mais alta e ergonômica”, completa Fleischfresser.

Existem no mercado modelos de cooktops de uma a cinco bocas, a gás, elétricos ou por indução, com diferentes acabamentos em inox, vidro e vitrocerâmico. Para Carmezini, o vidro ainda traz a possibilidade de cores distintas, das mais sóbrias às divertidas, atendendo ao desejo de cada um. Outra vantagem é que parte dos modelos oferecem sistemas que dificultam o acendimento por crianças e cortam a emissão de gás se a chama se apaga.

Industriais: desenvolvidos para o preparo de grandes quantidades de refeições (geralmente possuem de quatro a seis bocas, mas podem chegar a oito), os fogões industriais costumam ser grandes para os padrões da maior parte das cozinhas nas atuais residências. Por isso, carecem de um espaço considerável e de um acabamento adequado para aplicação em ambientes domésticos. Há modelos disponíveis com bocas frontais de chama tripla e controle individual do queimador interno e externo.

A lenha: se a ideia é compor uma cozinha com um ar antigo, rural ou colonial e os moradores dispõem de maior tempo para o preparo dos alimentos, este tipo de fogão é uma boa alternativa. Porém, apesar de considerá-los charmosos, a arquiteta Flávia Soares não deixa de apontar suas desvantagens: “o uso do modelo é trabalhoso, porque o cozimento é mais lento que em fogões convencionais e precisam da lenha que muitas vezes é difícil de adquirir”, além disso, é preciso espaço (inclusive para armazenar a madeira) e de uma chaminé.

Mas o fogão a lenha não precisa ser instalado somente na cozinha. Ele se encaixa perfeitamente em uma área social externa, estilo gourmet, proporcionando mais beleza ao ambiente e ainda aquecendo o local em dias mais frios.

  • Getty Images

    O fogão de cinco ou seis bocas é recomendado para uma família com quatro ou mais pessoas

Quantas bocas?

Os queimadores, denominados popularmente "bocas", são um dos itens do fogão que devem ser avaliados com muita atenção pelo consumidor, principalmente porque existe uma variedade de modelos com diferentes tamanhos e que proporcionam chamas com eficácia distinta.

No “universo” dos queimadores, sendo os mais comuns a gás ou os elétricos, se destacam aqueles com tripla chama que são ideais para cozimentos ultra-rápidos, para uso de panelas grandes e ainda para o preparo de receitas que necessitam de intenso calor.

Hoje as marcas fabricantes de fogões disponibilizam produtos com variedades de queimadores, perspectiva que vai muito além da combinação de uma boca grande e outras pequenas . Esta inovação pode oferecer uma maior amplitude entre as potências máxima e mínima da chama, controlando assim o calor na medida adequada para cada preparo. 

Quanto à quantidade de queimadores (quatro, cinco ou seis), a escolha dependerá da análise do perfil dos moradores e do espaço disponível para instalação do aparelho. Para uma família com quatro ou mais pessoas e com alta freqüência do uso do fogão, a recomendação é por um eletrodoméstico de cinco ou seis bocas, porque o equipamento dá mais praticidade e rapidez à cocção.

Agora para os solteiros ou casais sem filhos, os de quatro queimadores costumam ser suficientes. Mas isso não é uma regra: se você mora sozinho, porém gosta muito de cozinhar, receber amigos em casa e tem espaço suficiente pode até investir em um fogão industrial. Por que não?

  • Getty Images

    Para ajudar na limpeza do fogão, observe se há peças removíveis

Facilidade na manutenção

Além de considerar atrativos como o design e a potência do produto, pense na facilidade de higienização tanto dos queimadores como do forno ao escolher seu novo fogão. Pergunte ao lojista quais são as peças removíveis para lavagem (em alguns modelos, até a porta do forno pode ser retirada) e se atente ao tipo de material que reveste o compõem o eletrodoméstico.

Por exemplo, um acabamento em aço inox escovado não deve ser poroso para facilitar a remoção de resíduos dos alimentos. “O cromado também proporciona facilidade de limpeza, é resistente à corrosão, além de trazer um ar de sofisticação ao ambiente”, opina Carmezini.

Os fornos com revestimento de esmalte antiaderente, por sua vez, são boas opções quando se pondera a respeito do asseio do eletrodoméstico como um todo. Para Fleischfresser, os fornos classificados como autolimpantes (aqueles revestidos com esmalte especial que “queima” os pingos de gordura na parede do forno),  sob outra perspectiva, podem reter os odores dos alimentos após poucos anos de uso, comprometendo os resultados culinários desejados.

Funcionalidades e acessórios

Alguns acessórios são comuns a boa parte dos fogões, dos mais convencionais aos mais sofisticados: a válvula de segurança, que é indispensável, o timer para cozimento, o acendimento automático, o vidro duplo na porta e a prateleira autodeslizante do forno.

Entretanto, determinados modelos trazem inovações, em especial, no que se refere à automação. O “acendimento superautomático”, por exemplo, permite acionar qualquer queimador usando apenas uma das mãos, dando mais conforto e praticidade ao usuário. Em outros produtos, o grill elétrico ganhou um timer: além de dourar e gratinar os alimentos assados, o equipamento desliga automaticamente após o alarme sonoro.

A automação dos fornos vai além: o moderno painel eletrônico existentes em alguns aparelhos permite selecionar uma das funções do forno, regular a temperatura e programar o início e término do preparo dos alimentos. Todavia, as novidades no mercado para fogões e fornos não param no quesito automatização. As marcas fabricantes inovam com os cooktops de chamas triplas laterais e com fornos com churrasqueira interna de grill infravermelho ou ainda fornos de embutir combinados com micro-ondas, estendendo a gama de produtos disponíveis para compra.

Topo