Construção e reforma

Saiba como escolher e manter piscinas desmontáveis

Divulgação
Piscinas infláveis ou de montar são opções para refrescar o corpo e se divertir nos dias de verão imagem: Divulgação

Juliana Nakamura

Do UOL, em São Paulo

As piscinas plásticas são uma boa opção para quem busca refresco e diversão no verão, mas não quer ou pode gastar tempo, espaço e dinheiro com a construção e manutenção de uma piscina permanente e escavada no terreno. Práticas e, na maior parte das vezes, simples de montar, desmontar e guardar, essas versões portáteis podem fazer a alegria de adultos e crianças.

Ainda que existam poucos fabricantes atuando nesse mercado e que parcela significativa dos produtos seja importada, a diversidade de modelos é enorme. As formas podem ser as mais variadas, bem como a resistência e a durabilidade do plástico utilizado como matéria-prima ou a capacidade: de 25 litros (piscina para bebê) a 20 mil litros (para a família inteira). Além disso, há acessórios, como bombas, filtros, capas e válvulas de escoamento que facilitam ainda mais o uso da piscina desmontável. O preço, inferior ao dos modelos permanentes, é proporcional ao volume armazenável de água e à resistência do material empregado na confecção da peça.
 
Com tantas opções, na hora de escolher o modelo ideal para a sua casa é bom levar em conta algumas informações. Veja a seguir dicas úteis para decidir que piscina comprar e como mantê-la sempre em ordem:
 
Escolha sem erro
 
- Analise a área disponível antes de optar por um modelo específico. Lembre-se que é preciso deixar algum espaço para a circulação das pessoas em volta da piscina.
 
- O tamanho da piscina deve ser compatível com a quantidade de usuários. Piscinas com menos de mil litros são indicadas para uso infantil, lembrando que o nível de água deve ser adequado à altura da criança. Para adultos, as piscinas circulares (mais fundas) com pelo menos três mil litros são recomendáveis.
 
- A maior parte das piscinas plásticas é fabricada com lonas de PVC pneumático. Modelos maiores, contudo, exigem materiais mais resistentes. Uma boa opção é o PVC reforçado por tela de poliéster.
 
- A durabilidade é um aspecto crítico para muitas piscinas plásticas, sujeitas a rasgos e furos. Mas há duas formas de minimizar danos além do zêlo: a primeira é optar por produtos aprovados pelo Inmetro. A segunda é se informar sobre a garantia oferecida. A maior parte dos fabricantes garante apenas três meses (o mínimo obrigatório) para a substituição do produto com defeitos não causados por mau uso, mas há itens à venda com garantia maior, portanto, pesquise.
 
- Em relação aos modelos, há aqueles com armação metálica e as infláveis. As primeiras - geralmente quadradas ou retangulares - são mais estáveis, mas demandam maior esforço e dedicação durante a montagem. As infláveis, porém, são mais fáceis de montar, basta um inflador (que normalmente é comprado separadamente).
 
- Lembre-se: o tamanho da piscina determina o tempo gasto no abastecimento. Alguns modelos chegam a levar 11 horas para ficarem completamente cheios por meio de abastecimento com a mangueira comum.
 
Como conservar e manter
 
- Assim como as piscinas fixas, as de plástico exigem certos cuidados, tanto para que seja garantida maior durabilidade quanto para a boa qualidade da água. Uma piscina resistente, quando usada e mantida de maneira correta, pode durar vários verões.
 
- Um cuidado importante  para aumentar a vida útil da piscina é a instalação sobre uma superfície lisa e, preferencialmente, apoiada em uma lona. Tal cuidado diminui a possibilidade de que elementos irregulares ou pontiagudos - como pedras - entrem em contato direto com o plástico estrutural. Todavia, muitas piscinas infláveis vêm com um kit de reparos com cola específica para vedar eventuais rupturas.
 
- Alguns modelos infláveis podem ser instalados por uma pessoa. Outros, porém, com estrutura metálica, demandam a ação conjunta de duas ou três pessoas, assim, não hesite em pedir ajuda.
 
- A lona de proteção é um acessório importante para quem tem uma piscina seja ela portátil e desmontável ou permanente. Enquanto o equipamento estiver montado, cubra-o todas as noites para diminuir a incidência de folhas e insetos sobre a água e, ainda, prevenir acidentes com crianças e animais domésticos.
 
- Dica dos técnicos: para conservar a água da piscina limpa, adicione uma colher de sopa (15 ml) de cloro líquido para cada mil litros de água. Se for utilizada água sanitária, a dosagem deve ser de 60 ml  para cada mil litros de água por dia. A recomendação é que esse procedimento seja sempre realizado no fim do dia, pois a piscina precisa ficar interditada por cerca de dez horas. A periodicidade vai depender do grau de utilização da piscina. Em casos de uso intenso, o ideal é tratar a água todas as noites.
 
- Se houver filtro, é possível que a mesma água seja utilizada por até três meses. Caso contrário, a água vai durar no máximo dois dias sem o devido tratamento.
 
- Exceto para piscinas muito pequenas, vale a pena investir em um sistema de filtragem que, além de manter a piscina mais limpa, ajuda a economizar água.
 
- Para piscinas com mais de 2,5 mil litros, é importante que exista um filtro funcionando por pelo menos três horas diárias.
 
Quando o verão acabar...
 
- Antes de desmontar sua piscina plástica, esvazie e limpe-a cuidadosamente sem utilizar qualquer produto abrasivo como alcoóis ou limpadores multiuso. Guarde a piscina somente depois que ela estiver seca. Se possível, deixe-a algum tempo exposta ao sol para que seque completamente. Bombas e filtros também precisam estar limpos e enxutos.
 
- Quando guardado, cuide em manter o equipamento em lugar seco e separado de objetos cortantes ou perfurantes.
 

Fontes: Mor Metalúrgica, Intex e Inmetro

Topo