Decoração de ambientes

Monte em casa uma sala de ginástica confortável e motivadora

Daniel Ducci/ Divulgação
Na proposta do escritório Rocco Vidal + PW, uma caixa de madeira cimentada abriga o spa/academia imagem: Daniel Ducci/ Divulgação

Silvana Maria Rosso

Do UOL, em São Paulo

Está mais do que provado que atividades físicas são essenciais para o bem-estar e a saúde. Assim, por que não investir em uma academia em casa e garantir uma vida mais saudável?

Porém, uma excelente “home-gym” é mais do que equipamentos reunidos, afirma Giuliana Cogo, responsável pelo marketing da Life Fitness, empresa especializada na fabricação de equipamentos de ginástica e em consultoria. "Deve ser uma sala bem projetada, que seja tanto funcional, quanto motivadora", ensina.

A sala de ginástica não precisa ser grande, na verdade, qualquer espaço pode ser repensado para funcionar como uma miniacademia, valendo até aquele terceiro quarto reversível ou a dependência de empregada, "que podem acomodar uma estação de musculação ou ainda uma bicicleta ergométrica e uma esteira", argumenta o arquiteto Luís Renato Machado. Compactas, tanto a bicicleta quanto a esteira, oferecem a possibilidade de instalação até nos espaços de circulação como corredores ou um hall um pouco mais largo.

O espaço do exercício

A arquiteta Debora Aguiar lembra que, para estabelecer qual o tamanho ideal, as atividades que serão desenvolvidas no espaço assim como a quantidade de usuários são fatores a serem levados em conta.

Se o objetivo for apenas aeróbico, diz ela, um espaço reduzido, bem dividido em uma área para os equipamentos aeróbicos (bicicletas, esteiras, entre outros) e outra para práticas de solo e alongamento é mais que suficiente. "Se o objetivo é perder peso, uma boa esteira com TV integrada em um ambiente aconchegante como um terraço resolve bem", indica a arquiteta.

Transforme seu banheiro
em um spa. Clique!

  • Thinkstock

Todavia, se a proposta for montar uma academia mais completa, Aguiar alerta para a necessidade de uma área maior que possibilite uma terceira segmentação, onde se inserem os equipamentos de musculação. "Existem aparelhos integrados, como as estações de trabalho, que concentram maior número de exercícios e ocupam menos espaço", diz.

A metragem mínima para acomodar uma academia varia de 2,8 m² a 4,7 m², áreas estas que comportam da esteira à estação de musculação aliada à esteira. Para uma situação de eficiência e conforto na prática esportiva, a arquiteta Fernanda Marques julga ideal uma sala de - em média - 20 m², ou seja, espaço suficiente para abrigar um equipamento de uso múltiplo, uma esteira ou bicicleta e um canto para uso e armazenagem de halteres.

Para não errar na hora da compra dos equipamentos, Cogo - da Life Fitness -, recomenda que se tenha em mente as limitações de espaço. Independentemente do tamanho do ambiente, o designer Fábio Galeazzo recomenda sempre pedir o auxílio de um preparador físico .

Luz e temperatura

Além de apresentar espaço mínimo e exigir o uso de materiais adequados, a academia em casa deve garantir liberdade ao ser utilizada. O primeiro recado é de Fernanda Marques: paredes claras e circulação livre entre os equipamentos. A arquiteta Sueli Adorni explica que os apetrechos e instalações impõem a existência do chamado espaço perimetral para que haja conforto durante o uso. Tais informações são disponibilizadas pelos fabricantes no manual de cada item.

12 m²: equipamentos mínimos

1 bicicleta, ou esteira, ou transfer
1 espaldar para os alongamentos
1 colchonete para exercícios
4 pares de pesos (1/2/4/6/8/10 kg)
3 pares de caneleiras (2/4/6/8 kg)
1 estação multifuncional
1 banco com diferente inclinações
1 bola grande
               Fonte: Noura Van Dijk

"Explore a ventilação e a iluminação naturais sempre que possível, esse cuidado tende a proporcionar uma sensação térmica agradável durante toda a execução dos exercícios físicos", completa Marques. Assim, nos dias mais quentes, ventiladores devem bastar para deixar o ambiente mais arejado.

Se a iluminação natural não for suficiente, use lâmpadas fluorescentes ou LED, "pois não aquecem o ambiente", ressalta Machado. Aliás, a instalação do sistema de iluminação deve ser pensada para não ofuscar a visão do usuário durante seus movimentos. Já, em ambientes com grande incidência solar, Galeazzo indica os vidros com película UV, que amenizam o calor.

Beleza e praticidade

Considere a cor como aliada, tanto na ambientação como para estimular a utilização do espaço, aconselha a arquiteta Debora Aguiar. "É bem interessante deixar a vista quadros, adesivos da parede e até uma lousa para anotar as séries de exercícios e alongamentos a serem repetidos diariamente", recomenda a designer Noura Van Dijk, especializada em projetos de academias para condomínios.

O material do piso deve ser resistente e, em áreas onde se utiliza peso livre, como halteres e anilhas, o ideal é que absorva impacto. Há consenso entre os arquitetos sobre as qualidades do piso emborrachado ou vinílico: fáceis de limpar, ambos trazem benesses ao usuário por seu toque agradável e amortecimento, no caso de uma queda.

Outras opções são os laminados de alto tráfego e a madeira maciça, ótimos quando os exercícios são realizados no solo. “A madeira é especialmente agradável e traz conforto ao usuário, aquecendo o ambiente", diz Douglas Tolaine, do escritório de arquitetura RVPW.

Além de criar uma maior sensação de amplitude em relação ao espaço real do ambiente, os espelhos são fundamentais para correção postural durante a atividade física. Reserve, também, uma parede para barras e espaldar: "Utilizados em alongamentos e abdominais, ambientam a academia", pontua Tolaine.

Um bom sistema de áudio e vídeo é igualmente bem-vindo, finaliza Aguiar. Boa música e a possibilidade de distração com o vídeo tornam a prática dos exercícios ainda mais agradável. 

Topo