Decoração de ambientes

Móveis funcionais dão conforto às salas de jantar; planeje o ambiente

Ding Musa/ Divulgação
Na sala de jantar, o arquiteto Toninho Noronha optou pela mesa redonda, permitindo a livre circulação imagem: Ding Musa/ Divulgação

Silvana Maria Rosso

Do UOL, em São Paulo

Parte da ala social, tradicionalmente, as salas de jantar são integradas ao ambiente de estar. Entretanto, seja pelo uso de balcões, portas de correr ou vãos, cada vez mais o local para servir às refeições se conecta também à cozinha, formando um único e amplo espaço para o convívio. Para que a funcionalidade e conforto não sejam comprometidos na momento de planejar sua sala de jantar, veja as dicas de especialistas e ajuste-as ao seu estilo e necessidades.

Praticidade
 
Os primeiros dados a serem considerados ao se projetar uma sala de jantar são a área disponível e o número de pessoas que se deseja comportar. A mesa deve ser proporcional ao ambiente que precisa ter espaço suficiente para a circulação, evitando incômodos aos moradores e às visitas.
 
 
A circulação mínima aconselhada é de um metro em torno da mesa. "Quanto mais espaço de circulação melhor", assegura a arquiteta Brunete Fraccaroli.
 
Outro item a ser observado é a ergonomia dos móveis. As cadeiras devem ser confortáveis, proporcionando um bom apoio à coluna. A dica do arquiteto Toninho Noronha é fazer um “test-drive” junto com a mesa. "O assento não pode ser muito alto para evitar que as pernas batam no tampo da mesa. Os braços das cadeiras devem se encaixar perfeitamente embaixo da mesa, mas não podem ser baixos demais, o que pode causar desconforto para o usuário", explica. 
 
Conforme a arquiteta Cristina Menezes, além de bonitos e funcionais, os móveis precisam ser práticos. "Vidro ou pedras para os tampos das mesas são mais fáceis para limpar e manter do que a madeira. Mas em compensação são mais frios", exemplifica.
  • Joy Yamamoto/ Divulgação

    O piso de madeira e o forro de gesso delimitam o espaço de jantar, no projeto das profissionais Elaine Delegredo e Luciana Corrêa

 
Segundo ela, a escolha deve levar em conta os moradores (se há muitas crianças) e o local (se a região é fria ou quente). "Escolha as peças de acordo com todo o contexto. Coloque tudo na balança e veja as suas prioridades para garantir o sucesso dos materiais do mobiliário", indica.
 
Outro detalhe importante é o revestimento das cadeiras, se forem estofadas. Devido à possibilidade de sujar com as comidas e bebidas servidas, opte por tecidos resistentes e fáceis de limpar. Menezes sugere couro e tecidos sintéticos. "Móveis com um bom design, boa qualidade e materiais práticos asseguram uma sala linda e limpa sempre”, afirma.
 
Para garantir a funcionalidade nas refeições, a arquiteta Cinthia Garcia e a designer Andréia Karalkovas assinalam que os pratos, copos e talheres têm que estar próximos à mesa. Para atender a esta necessidade, as alternativas são um bufê, uma marcenaria ou uma cristaleira em composição com o jogo de jantar.
 
Um bom aparador também é essencial nos momentos de refeição, "podendo ser uma peça antiga, de vidro, ousada, com estilo arquitetônico completamente diferente do resto do ambiente, dando um toque especial", ressalta a arquiteta Flávia Ralston. Em alta, os carrinhos bar estão podem auxiliar bastante e as adegas também podem fazer parte do espaço.
 
Ainda se tratando do conforto, a ventilação e a iluminação não podem ser esquecidas. Para criar uma atmosfera sem comprometer com a visibilidade da comida, Noronha aconselha a mescla de luz indireta e direta sobre a mesa, "pois ninguém quer comer no escuro". 
 
Os pendentes sobre a mesa são muito utilizados, "porém fique atenta a altura para não ofuscar quem está sentado", lembra a arquiteta Lucilene Leitte.
 
Versatilidade na hora de receber
 
Em ocasiões especiais, nem sempre os espaços comportam todas as visitas. Para acomodar os convidados com um mínimo de conforto, "opte por móveis multiusos, versáteis e também com flexibilidade de uso", orienta Menezes. 
 
Uma opção muito utilizada atualmente é a união de duas mesas quadradas.  "Quando houver necessidade, elas são afastadas, liberando mais lugares", revela Noronha. Outra dica são as mesas com extensores no centro. Nas duas possibilidades, é preciso prever cadeiras extras. Como mais uma alternativa, os pufes próximos à sala de jantar podem ser movidos facilmente para junto à mesa.
 
Para atender às situações festivas, as arquitetas Elaine Delegredo e Luciana Correa recomendam as mesas com tampos redondos ou ovais: "como não têm quinas é mais fácil reposicionar os assentos e sempre cabe mais um".
 
“E quando o jantar está integrado ao living e à varanda, os respectivos assentos atendem ao todo”, instruem Garcia e Karalkovas.
 
Desta forma, além da composição mesa e cadeira e harmonização do mobiliário com o estilo da casa, o projeto de sua sala de jantar deve prever a fácil manutenção das peças assim como o conforto dos moradores. 
 
Topo