Jardinagem e paisagismo

Bonsai exige cuidados especiais; aprenda a cuidar do seu

Divulgação
Qualquer espécie de planta pode ser submetida à técnica, que transforma árvores em miniaturas, mantendo características de flores e frutos imagem: Divulgação

Marina Oliveira e Thaís Macena

do UOL, São Paulo

Ele nasceu na China, mas foi no Japão que se consagrou como uma forma de arte. Muita gente não sabe, mas o bonsai não é uma planta específica, e sim a técnica utilizada para transformar árvores convencionais em miniaturas, mantendo suas características naturais de produzir flores e frutos. Qualquer muda pode ser submetida à técnica do bonsai, que consiste em cortar cerca de dois terços da raiz para controlar o crescimento e, de tempos em tempos, podar e modelar os galhos, para que eles criem uma forma única. 

Por isso mesmo, é fundamental escolher uma loja de confiança para comprar um, de preferência especializada no cultivo desse tipo de planta. "Muitos vendedores comercializam mudas como se fossem bonsais. Eles trabalham com coníferas e pinheiros que, mesmo quando estão mortos, continuam verdinhos por um tempo", alerta Marcio Augusto de Azevedo, proprietário da Bonsai Kai, em São Paulo. Para se precaver, verifique se não há insetos nem folhas amarelas, murchas, secas ou manchadas no vaso. Além disso, a terra precisa estar úmida por igual e o bonsai, firme dentro dela, sem balançar. 
 
São vários os critérios que podem afetar os preços dos bonsais, que não costumam sair barato. "A jabuticabeira, um símbolo do Brasil, só começa a produzir frutos com mais ou menos 20 anos de cultivo", exemplifica Fernando Magalhães, do Bonsai Morro Velho, em Minas Gerais. Mas tempo de vida também não é um valor determinante. "Eu vendo plantas de R$ 150 a R$ 30 mil. O preço tem mais a ver com o trabalho artístico que aquela espécie demandou do que com sua idade", completa. 
 
 
O cultivo
Bonsais devem ser regados somente quando a terra do vaso estiver quase seca. Como regra geral, se a umidade do ar está baixa e a temperatura acima de 20º C, uma planta de até 30 centímetros de comprimento precisa ser regada todos os dias. No calor, copas e galhos também podem ser molhados. Já em temperaturas estão mais baixas, a rega pode ser feita em dias alternados. 
 
O intervalo ideal de poda depende da espécie, mas a média fica entre três e seis meses. Isso ajuda a manter o formato original do bonsai e ainda estimula novas brotações, que preenchem a copa e a deixam mais bonita. Escolha uma tesoura específica para podar e certifique-se de que está bem afiada, para garantir a eliminação dos ramos defeituosos ou desnecessários. Além da copa e dos galhos, a cada três anos, em média, os bonsais pequenos devem ter as raízes podadas, para garantir resistência e longevidade; nos maiores esse intervalo é de dez anos. 
 
Para podar as raízes, deve-se retirar a planta do vaso, remover cerca de metade da terra, que já estará compactada e sólida, e cortá-las nas laterais. Na volta ao vaso, o bonsai precisa ser bem amarrado ao recipiente com um arame, para evitar a quebra das raízes novas ao balançar. Por fim, é preciso cobrir a planta com terra nova. Nesse momento, pode-se aproveitar para replantar o bonsai num vaso diferente. Feita a poda das raízes, não se deve mexer na planta por pelo menos dois anos. "O bonsai leva no mínimo um ano para se recuperar do transplante", justifica Magalhães. 
 
Exposição ao sol
Segundo os especialistas, o bonsai gosta de receber sol diretamente nas folhas, mas a frequência da exposição varia de acordo com a espécie. Buxus, carmona, fícus, ligustro, macieira, podocarpo e serissa precisam de duas horas de sol diário, portanto podem ser cultivados dentro de casa, desde que perto de uma janela. 
 
Já as espécies ácer-palmeto, ácer-tridente, azaléia,  jabuticabeira, oliveira, piracanta, primavera, resedá, romã e ulmus necessitam de mais de três horas diárias de sol. O local ideal para cultivo é uma área externa que tenha proteção do sol do meio dia, como uma varanda, por exemplo. 
 
Por fim, cipreste, ginkgo biloba, kaizuka, sequóia e pinheiros gostam de muito sol e devem ser expostos a ele por mais de seis horas diárias. Por isso mesmo, o melhor lugar para cultivá-los é fora da casa, numa área totalmente aberta.
 
Pragas
Existem produtos para combater insetos comuns em plantas ornamentais, como pulgões e cochonilhas. "Os inseticidas próprios podem ser usados, desde que se obedeça rigorosamente às instruções do fabricante", recomenda Azevedo. Para garantir que o bonsai não absorva substâncias nocivas, a indicação é regá-lo duas horas antes da aplicação.
Topo