Móveis e acessórios

Purificadores ajudam a melhorar a qualidade do ar em casa

Marina Oliveira e Louise Vernier

do UOL, São Paulo

É só a temperatura começar a cair e o primeiro impulso é sair fechando janelas e portas, para acabar com as correntes de ar que geram desconforto. O grande problema é que em ambientes fechados o ar começa a acumular impurezas rapidamente. Poeira, pólen, ácaros e outros microorganismos agridem o sistema respiratório e devem ser ainda mais temidos por quem já sofre de alergias. Nesses dias, o purificador de ar pode ser um grande aliado. "Ele retém, por meio de elementos filtrantes diversos, partículas pequenas que estão em suspensão no ar", explica Luís Fernando Novazzi, engenheiro químico e professor da FEI. 

Os diversos modelos de purificador têm diferentes tecnologias. Os mais eficazes possuem filtro HEPA, sigla em inglês para "High Efficiency Particulate Air" (em tradução livre, filtragem de ar de alta eficiência), capazes de capturar partículas minúsculas, com espessura menor que a de um fio de cabelo. Aqueles equipados também com filtro de carvão ativado conseguem absorver os gases e odores, limpando um ambiente onde há fumaça de cigarro, por exemplo.
 
Já o ionizador presente em alguns equipamentos não é capaz de remover poluentes do ar, mas ainda assim ajuda a respirar melhor. "Eles liberam uma carga maior de íons negativos no ar, proporcionando uma respiração mais confortável, como quando estamos à beira-mar ou próximos a uma queda d'água", explica André Hahn, sócio da Ar e Saúde, que fornece equipamentos para casas e hospitais. "A ionização também faz com que partículas muito pequenas se aglutinem, facilitando sua retenção por filtros", acrescenta. 
 

Modo de usar

Apesar de todos os benefícios, o purificador não deve permanecer ligado o tempo todo. "O ideal é arejar o ambiente naturalmente durante o dia", recomenda Jean Carlo Gorinchteyn, infectologista dos hospitais Emílio Ribas e São Camilo. "No final da tarde, quando os ventos mais frequentes aparecem e trazem um número maior de poluentes, é interessante fechar as janelas e ligar os purificadores", completa. 
 
A área de ação de cada equipamento varia bastante e vem especificada pelo fabricante, mas um aparelho portátil pode não ser suficiente para a casa toda. Assim, se o investimento em mais de uma unidade não estiver nos planos, a saída é priorizar. "O quarto de dormir é onde a pessoa passa a maior parte do tempo quando está em casa e, portanto, deve ser prioridade", orienta Clóvis Eduardo Santos Galvão, presidente da  Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia de São Paulo. 
 
Para que o equipamento cumpra a sua função de maneira eficaz é fundamental realizar a manutenção periódica conforme o fabricante. Os especialistas ressalvam, no entanto, que apenas o uso do purificador não é suficiente para evitar as crises respiratórias em ambientes em que há alérgicos. "Nesse caso, é preciso evitar alguns elementos dentro de casa, que costumam acumular partículas alergênicas e que são difíceis de serem higienizados, como grandes cortinas, tapetes e almofadas", afirma Gorinchteyn.
Topo