Últimas de Estilo de vida

Casa do pós-guerra torna-se ícone e descortina vista de Los Angeles

@bowandarrow/ Divulgação Instagram
Living da House#22, desenhada por Pierre Koenig em 1960, é fotografada por usuários do Instagram imagem: @bowandarrow/ Divulgação Instagram

Do UOL, em São Paulo

Entre meados dos anos 1940 e 60, nasceu nos EUA o programa "Case Study Houses" - uma série de experiências arquitetônicas destinada a criar protótipos para casas eficientes, modernas e esteticamente agradáveis. As casas do pós-Guerra.

A proposta feita pela revista Arts & Architecture reuniu inicialmente oito nomes da arquitetura, senão norte-americanos natos, radicados e atuantes no país: J.R. Davidson, Richard J. Neutra, Sumner Spaulding, Eero Saarinen, Charles Eames, William Wilson Wurster e Ralph Rapson.

E o desafio, em janeiro de 1945, era “começar imediatamente o estudo, o planejamento, o design e a construção de oito casas, a fim de atender as especificações demandadas por problemas de vida e moradia na área sul da Califórnia. (...) e criar boas condições de vida para oito famílias americanas”, segundo artigo da época, na própria publicação.

O programa pesquisava a inserção das casas no âmbito global das cidades e as adequava a esses aspectos. Até 1962, havia 37 projetos em três estados – Califórnia, Nova Jersey e Arizona – e mais de 20 arquitetos e escritórios envolvidos. Algumas propostas não saíram do papel, outras foram construídas e, posteriormente, passaram por reformulações ou foram demolidas, mas algumas felizmente se mantiveram preservadas.

Ícone

A chamada House#22 é um exemplo. Construída em 1960, nas Hollywood Hills em Los Angeles, a casa projetada por Pierre Koenig (1925-2004) é um pavilhão que pretende balancear os componentes “casa, céu, piscina e vistas”. Com parte das “paredes” compostas inteiramente por panos de vidro do chão ao teto, a construção descortina uma vista privilegiada de L.A. aos moradores e visitantes.

Modernista, o projeto de Koenig conta com 214 m² de área interna, possui cobertura metálica e, talvez, seu maior atrativo seja a piscina encaixada em um “L” constituído pelos dois braços construtivos.  Pertencente à família de Buck Stahl, um jogador profissional de futebol americano, a House#22 (número que ocupava na lista do "Case Study Houses" ) ou – oficialmente – Stahl House possui uma história controversa e há quem defenda que o projeto teve as linhas orientadas por Buck. Qualquer que seja o autor – ou autores – é inegável que a qualidade estética do espaço é o que faz do projeto um dos mais conhecidos e visitados dos EUA.

Atualmente, a casa pode ser alugada para festas e eventos, é aberta à visitação e frequentemente figura em redes sociais como o Instagram. A construção que custou cerca de US$ 37 mil já foi alvo de propostas milionárias, mas a família Stahl não a vendeu. Entre filmes e outros produtos rodados na House#22 estão dois documentários sobre arquitetos: “Visual Acoustics: The Modernism of Julius Shulman” (2008) e "Eames: The Architect and the Painter" (2011).

Topo