Últimas de Estilo de vida

Cozinha planejada se adapta ao espaço e aos hábitos da casa

Divulgação
O espaço em "L" possibilita intercalar o posicionamento da geladeira, da pia e do fogão com a bancada imagem: Divulgação

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

A principal vantagem de se projetar uma cozinha com móveis planejados é o melhor aproveitamento dos espaços, sem comprometer o fluxo de circulação. Tais ambientações visam atender de forma mais completa as necessidades dos moradores da casa e, ainda, possibilitam a escolha personalizada de todos os materiais de estrutura, revestimentos e tipos de ferragens para os móveis.

Porém, nem sempre o planejamento das cozinhas é tão simples quanto parece. Por isso, o UOL Casa e Decoração dá dicas de como pensar corretamente uma cozinha planejada, seja ela pequena e estreita ou bastante espaçosa. Veja como prever as dimensões e aberturas dos armários e conheça as soluções e novidades do mercado.

Elementos essenciais

É primordial analisar o espaço disponível para a montagem da cozinha planejada na residência, contudo são os hábitos dos moradores que vão determinar de que forma organizar os móveis e eletros com maior praticidade. “Por exemplo, se gostam de receber amigos, se há a necessidade de uma bancada para lanches rápidos ou de muitos armários para guardar utensílios domésticos”, explica a arquiteta Adriana Morávia.

As cozinhas planejadas permitem diversas alternativas para facilitar sua operação, por isso, ouvir as opiniões de quem irá cozinhar é essencial. De acordo com a gerente de arquitetura da Unicasa (fabricante das marcas Dell Anno, Favorita, New e Casa Brasileira) Greice Azevedo Magadan, as áreas de cocção, preparo, lavagem e armazenagem devem ter posições e alturas ajustadas ao cliente.

Cozinhas integradas ao convívio ganham cada vez mais adeptos

  • Celina Germer/ Divulgação

Com os hábitos mapeados, define-se quais equipamentos irão compor a cozinha. Os componentes principais são a pia, a bancada de trabalho e apoio, a geladeira e o fogão. Outros itens complementares são a máquina de lavar louças, a coifa ou depurador e o forno de micro-ondas, entre outros.

Tendo todos os elementos elencados, o tipo de disposição deve ser determinado em função do espaço. Por exemplo, se o ambiente será o de uma cozinha linear, uma linear com ilha de cocção, uma cozinha com estruturas paralelas (armários, bancadas, mesa), em U ou em L.

Diminuta ou comprida e estreita

Para ambientes bem pequenos, a melhor opção é projetar a pia junto da bancada de apoio a ser usada para o preparo dos alimentos, entre o fogão e a geladeira, tudo em linha reta, deixando um corredor livre para o fluxo de passagem e trabalho.  

Nesses casos, quando o espaço é reduzido, a arquiteta Consuelo Jorge aponta algumas soluções: “Uma alternativa é ter armários verticais, do piso ao teto, monocromáticos como a bancada e, de preferência, de cor clara para dar uma sensação de amplitude ao lugar. Coloque algumas panelas à vista, em cima da pia ou da bancada: o acesso é fácil e tem efeito decorativo”.

Em cozinhas compridas e estreitas, uma opção é utilizar esse mesmo tipo linear, alinhando todos os componentes de um mesmo lado. Se houver área suficiente, e não comprometer o fluxo de circulação, Magadan sugere colocar a pia, a bancada e o fogão em frente à geladeira, ou seja, dispor os elementos essenciais em duas paredes paralelas.

Você teve algum problema com o projeto da sua cozinha planejada?

Resultado parcial

Total de votos
Total de votos

Ambientes em U ou L

Em ambientes em U é possível ter uma melhor distribuição dos itens e criar um triângulo funcional para o preparo dos alimentos: posiciona-se a pia na parede perpendicular ao fogão e a geladeira fica na parede oposta ao último. Já o modelo em L permite que a geladeira seja colocada em um canto e, na ponta oposta, se disponha a dupla pia-fogão. Uma bancada com mesa para pequenas refeições pode ser incorporada facilmente no último caso.

Espaçosa

Quando a cozinha é extensa, o ambiente pode receber uma ilha central de cocção com cooktop, coifa, pia e até bancada para as refeições. Na parede ao fundo do ambiente podem ser instalados o forno e micro-ondas embutidos, além dos armários altos para armazenamentos de louças, potes, utensílios, objetos e mantimentos. Esse tipo linear com ilha é uma opção que traz maior convívio para a cozinha. “A ilha com mesa grande permite que as pessoas fiquem conversando, enquanto a refeição é preparada”, salienta Jorge.

Dimensões e aberturas dos armários e eletrodomésticos

É importante saber todas as dimensões dos eletrodomésticos e colocá-las no projeto antes da execução para que não haja erro no desenho dos nichos. Para não comprometer a abertura dos armários e a circulação, calcule um espaço mínimo de um metro.

A arquiteta Silmara Salvetti explica que os armários sob a bancada costumam ter 60 centímetros de profundidade, enquanto os suspensos podem variar de 30 até 45 centímetros. “Os móveis na parte superior quando são muito profundos, dificultam o acesso e o manuseio dos objetos e alimentos”, ressalta.

Para o posicionamento da geladeira, considere a possibilidade de abertura da porta que permita a extração de elementos como a gaveta de verduras. Fornos devem ter reservado espaço suficiente para que as portas possam ser abertas por completo. E, caso a cozinha planejada não inclua aparelhos embutidos, respeite as distâncias dos eletrodomésticos em relação às laterais e ao fundo, para que a limpeza e ventilação sejam facilitadas.

Essencial na cozinha: veja como escolher o fogão ideal

  • Getty Images

Soluções e materiais

Nos projetos dos armários, as ferragens são um dos itens que podem apresentar mais defeitos, por isso, é necessário avaliar a qualidade das dobradiças, corrediças e puxadores. Entre as ferragens mais indicadas para cozinha, estão as corrediças telescópicas com amortecedor (um sistema de rolamentos com esferas metálicas que permite o deslizamento suave da gaveta).

Para armários suspensos, são recomendadas as portas de elevação, conhecidas como sistemas aventos ou basculantes, porque as frentes se movimentam para cima, o que dá livre acesso ao interior do móvel. Os gavetões são soluções que aproveitam o espaço e organizam os objetos armazenados. Neles podem ser guardados potes, panelas e pratos, estes últimos organizados em suportes específicos.

Em relação aos materiais dos móveis planejados, Morávia indica o aço inox, o vidro e os laminados melamínicos como opções duráveis e práticas, porque facilitam a limpeza. “Uma combinação do MDF revestido com laminado melamínico, detalhes em chapa de aço inox e portas de vidro permite uma composição harmônica e de fácil manutenção”, sugere.

Hidráulico e elétrico

E por fim, lembre-se que o planejamento da cozinha deve vir acompanhado e estar de acordo com os projetos hidráulico e elétrico. No hidráulico, por exemplo, além do posicionamento da pia, é preciso prever pontos de conexão para o abastecimento e o descarte da água para lava-louças e para a geladeira, caso esta também demande tal necessidade.

No elétrico, planeje tomadas altas para coifa ou para torre de fornos, uma baixa para triturador e outras sobre a bancada para eletrodomésticos como batedeira e liquidificador, além de pontos de conexão para o abastecimento da geladeira e do fogão. 

Em casos de reforma, a observância de pontos de conexão hidráulica e elétrica também é imprescindível. Outros detalhes também devem ser levados em conta como a existência de interfone, filtros embutidos e, em certos casos, da caixa de força. 

Você teve algum problema com o projeto da sua cozinha planejada?

Resultado parcial

Total de votos
Total de votos
Topo