Últimas de Estilo de vida

Escolha a melhor coifa para sua cozinha e deixe-a com o ar mais agradável

Getty Images
Cozinhas integradas ou com uso muito intenso do fogão demandam a instalação de uma boa coifa imagem: Getty Images

Juliana Nakamura

Do UOL, em São Paulo

As cozinhas estão cada vez menores e mais integradas às áreas sociais, portanto dispor de uma boa coifa ou depurador de ar para reter a gordura e os odores indesejáveis oriundos do preparo dos alimentos tornou-se fundamental. 

Até pouco tempo, a indústria de eletrodomésticos oferecia basicamente exaustores pouco eficientes e sem duto para condução do ar para equipar as cozinhas domésticas. Porém, nos últimos anos, as coifas têm se tornado mais acessíveis e vêm conquistando uma fatia importante do mercado, aliando funcionalidade e design sofisticado. 
 
"As peças em aço inox e vidro, com linhas modernas, tornaram-se bastante procuradas. Mas há coifas de várias cores e adaptáveis a todos os estilos de decoração", afirma o arquiteto Aquiles Kílaris, que sempre utiliza esse tipo de equipamento em seus projetos, inclusive sobre churrasqueiras em espaços gourmet.
Como escolher?
 
Na hora de escolher qual eletro instalar, a dúvida recai sobre a adequação do produto às necessidades da casa. Mais compactos e baratos, os depuradores de ar sugam o ar e retêm a gordura contida nele por meio de filtros que podem ser metálicos (laváveis) ou de carbono (descartáveis após um determinado período de uso). Esses equipamentos, contudo, possuem ação limitada à retirada de odores. Por isso, costumam ser indicados apenas para as cozinhas onde a instalação de dutos para saída de ar é inviável, caso de muitos apartamentos.
 
Maiores, mais eficientes e mais difíceis de instalar (e também mais caras), as coifas jogam o ar quente, a fumaça e os odores desagradáveis para fora do ambiente por meio de dutos metálicos de inox ou alumínio. Existem dois modelos principais: as coifas para a instalação em parede ou sobre as ilhas de cocção. 
 
As primeiras são indicadas nos casos em que o fogão ou o cooktop fica posicionado contra uma parede. Instaladas no teto, as coifas de ilha são recomendadas para equipamentos de cozimento posicionados no meio da cozinha. 
 
As coifas possuem dupla função: exaustão (o ar captado na cozinha é conduzido para fora da residência) e depuração (o eletrodoméstico filtra o ar quente e carregado de partículas e o devolve ao ambiente por meio de aberturas laterais). Além disso, os equipamentos, na maior parte das vezes, dispõem de três velocidades de operação. A mais suave proporciona uma troca silenciosa e contínua de ar e é indicada quando há pouco vapor ou cozimentos pouco odoríferos. Com melhor relação entre quantidade de ar filtrado e produção de ruído, a velocidade intermediária pode ser utilizada na maior parte das preparações. Já a velocidade máxima é indicada para tratar a emissão de vapores e fumaça excessiva produzida no caso de frituras, por exemplo.
Critérios de avaliação
 
Uma vez que o consumidor se decida pela instalação de uma coifa, é preciso comparar os produtos em relação a quesitos diversos, como a eficiência do motor. Esse aspecto está diretamente relacionado à frequência de uso do produto, alerta Fabio Garcia Saggese, supervisor comercial da M.Cassab, empresa detentora da Spicy, marca de utensílios e eletrodomésticos para cozinha. Segundo o Inmetro (Instituto Nacional de Metrologia, Normalização e Qualidade Industrial), desde o início de 2013, as coifas devem ter certificação do órgão para a comercialização, o que visa o aumento da segurança para os usuários.
 
Em residências onde o fogão tem uso contínuo e é empregado frequentemente para o preparo de frituras, pode ser necessária uma coifa com alto poder de sucção. "Além disso, quanto maior for o ambiente, maior deverá ser a potência do equipamento", diz Aquiles Kílaris. Aliás, potência é importante também quando a cozinha é do tipo “americana” (integrada), para evitar que a fumaça e os odores invadam os ambientes adjacentes.
 
Antes de levar uma coifa para casa, o comprador deve também estar atento à voltagem do equipamento, que obviamente precisa ser a mesma da instalação elétrica, e às dimensões da coifa em relação ao fogão, explica Kílaris. Fogões de quatro bocas, por exemplo, são atendidos por coifas com largura de 60 cm. Já as de 90 cm costumam se adequar bem aos fogões e cooktops de até seis bocas.
Durante a reforma ou a construção da residência, "uma dica é deixar a tubulação de teto ou parede preparada para receber o equipamento, evitando quebradeiras posteriores e desnecessárias", recomenda o arquiteto. Para a saída de ar, a sugestão é projetar dutos de oito polegadas ou 22 cm x 15 cm, no mínimo.
 
Os fabricantes recomendam ainda que a coifa seja instalada a uma altura mínima de 650 mm e máxima de 750 mm dos queimadores do fogão. Por fim, é importante escolher um modelo dotado de boa iluminação. Afinal, a área sombreada pelo equipamento pode alterar a percepção da cor real dos alimentos.
 
Uso e manutenção
 
Assim como ocorre com grande parte dos eletrodomésticos, a coifa deve ser limpa com detergente neutro e esponja macia. A limpeza incorreta pode danificar a superfície e tirar o brilho do produto.
 
A eficiência do aparelho pode ser comprometida caso os filtros não sejam higienizados e/ou substituídos com regularidade. Os fabricantes, de forma geral, recomendam a limpeza sempre que houver acúmulo de gordura ou a cada dois meses. Alguns modelos mais modernos trazem luzes que indicam quando os filtros estão saturados, facilitando a manutenção.
Topo