Decoração de ambientes

Estilo provençal dá tom rústico francês à casa; veja como decorar sem errar

Marcelo Trad/ Divulgação
A cozinha (15,75 m²), da Paula Isidoro, ganhou configuração atual, apesar de remeter à inspiração provençal imagem: Marcelo Trad/ Divulgação

Silvana Maria Rosso*

Do UOL, em São Paulo

Cheiro de lavanda, móveis brancos desgastados, tons suaves e tecidos florais fazem lembrar o charme do estilo provençal, derivado das casas rurais e do modo de vida simples da região sudeste francesa, a Provença. O ápice do estilo foi os anos 1980, quando virou febre mundial, mas sua origem remete ao período entre os séculos 16 e 18. "As famílias camponesas adaptavam a decoração vigente utilizando os materiais e recursos que tinham em mãos para imitar as casas da corte", afirma o arquiteto Maurício Karam. 

Os móveis eram manufaturados nos estilos da época, como Luís 15, Luís 16, regência, diretório e Luís Filipe, com diferentes tipos de madeiras e pouca qualidade. Para esconder os defeitos do lenho e a mescla de espécies em uma mesma peça, os artesãos usavam uma mistura de gesso e cola, o gesso cré, que disfarçava os defeitos e que, com o tempo, acabava se desgastando e dando ao móvel uma aparência envelhecida. Tal efeito é conseguido atualmente com a pátina que muitas vezes é chamada de "provençal".
Do campo
 
Conhecido internacionalmente como "French Country Style" (Estilo Francês Campestre, em tradução livre), essa vertente da decoração é caracterizada pela rusticidade aliada a recursos que proporcionam acolhimento e conforto, porém, não há regras rígidas. Os ambientes são mobiliados com móveis pintados, desgastados ou não, paredes de pedra, ásperas e/ou manchadas, madeiramento do telhado aparente, materiais naturais, tecidos florais, estampas "Toile de Jouy" (pronuncia-se 'toáli de juí" e possui desenhos de cenas rurais e cotidianas), pisos claros de madeira ou terracota, peças de cerâmica colorida, castiçais de ferro, cestas de arame e tudo o mais que lembrar a vida rural.
 
Apesar do branco ser a cor predominante, diversos tons de amarelo, verde, lilás, azul e até vermelho , além das madeiras mais escuras decoram os ambientes. Por ser bucólico e meigo, o estilo provençal costuma ser aplicado às copas e salas, no entanto, adapta-se bem a outros ambientes. Também é possível misturá-lo a estilos diversos, "desde que tenham a mesma linguagem", ensina o arquiteto Glen Finch.

Elementos "das antigas" cabem no décor clássico e até moderno

  • Divulgação
Adapte
 
Para fazer a sua versão e não correr o risco do ambiente ficar muito caricato, a dica é não carregar no branco e compor com outras cores e materiais, como o ferro, o cobre, a madeira natural e a pedra e combinar estampas diferentes, como floral com listras, sempre em cores próximas ou parecidas. O arquiteto Leonardo Junqueira recomenda cuidado com as estampas e mobiliários muito rebuscados: "Se pretende usar estampa,  utilize peças de mobiliário mais simples e retas".
 
De resto, é só usar sua imaginação, espalhar flores do campo pela casa e transportar-se para a Provença! 
 
* com colaboração de Letícia de Almeida Alves
Topo