Jardinagem e paisagismo

No jardim ou no vaso, aprenda a cultivar pimentas em casa

Getty Images
Caso queira cultivar sua pimenteira dentro de casa, procure um local que tenha incidência solar direta imagem: Getty Images

Simone Sayegh

Do UOL, em São Paulo

No Brasil, são cultivadas pimentas ardidas como a famosa pimenta malagueta, a cumari-do-pará e a dedo-de-moça, mas se produz também as menos picantes, a exemplo da pimenta-de-cheiro, a cambuci ou chapéu-de-frade e a biquinho. E todas essas variedades podem ser plantadas em casa, em jardins ou vasos, desde que sejam seguidas recomendações básicas de plantio e cuidados, por exemplo, com a rega e poda.

De acordo com a especialista e pesquisadora da Embrapa Hortaliças, Claudia Silva da Costa Ribeiro, a pimenteira é uma planta de sol pleno, sensível a baixas temperaturas e intolerante a geadas, por isso deve ser cultivada preferencialmente nos meses de alta temperatura.

Esse clima quente favorece a germinação, o desenvolvimento e a frutificação ao contrário das baixas temperaturas que provocam queda de flores e frutos, e alteram a ardência e a coloração dos frutos. Dessa forma, se a escolha for colocar a planta dentro de casa, coloque-a em um local que receba luz solar direta.

Como e onde plantar

As mudas de pimentas podem ser compradas em viveiros de produção de mudas de hortaliças ou em supermercados e floriculturas. “É importante saber a procedência da muda, pois as pimentas de vasinhos podem apresentar altos índices de agrotóxicos”, alerta a paisagista Anna Saraceni.  

Adquirida a muda, é necessário transplantá-la para um vaso maior com aproximadamente 30 cm de diâmetro, mantendo o torrão de terra em torno das raízes, a fim de protegê-las. Após o transplante, molhe a terra. 

Outra opção é fazer a muda diretamente em vasos de 28 a 30 cm de diâmetro. Para isso, é preciso preenchê-los com terra vegetal e em seguida, semear duas a três sementes em cada vaso, a uma profundidade de um centímetro. Nesse caso, quando as mudas apresentarem de duas a quatro folhas definitivas, corte com uma tesoura as mudas menos vigorosas, com o cuidado de deixar uma muda por vaso.

Getty Images
Opte por vasos que tenham furos no fundo para uma melhor drenagem da água da rega imagem: Getty Images

Em relação ao tipo de solo, o mais adequado é de textura média, que não seja muito argiloso nem muito arenoso. Para o plantio em vasos, providencie aqueles com furos no fundo da peça para a água da rega não acumule e acabe apodrecendo as raízes.

Por sua vez, a adubação orgânica, especialmente com esterco animal curtido, é benéfica e deve ser incorporada e misturada ao solo algumas semanas antes do plantio.

Zelo com a pimenteira

Rega: sempre que a superfície da terra estiver seca, é hora de regar, sendo que os melhores horários são no início da manhã e no final da tarde, em quantidade suficiente para que se inicie um gotejamento na parte inferior do vaso. 

Poda: o ideal é aparar os ramos da pimenteira após a frutificação e colheita para estimulá-la a brotar e produzir novamente. Caso queira reduzir o desenvolvimento exagerado das plantas, elimine as brotações laterais da planta, abaixo da primeira bifurcação. 

Amparo à pimenteira: Em plantas com grande carga de frutos é importante amarrar a pimenteira a uma estaca de bambu fina fincada no solo, a fim de conduzir o crescimento vertical da planta. 

Com esses simples cuidados, você terá em casa pimentas sadias e prontas para serem consumidas enquanto a planta estiver em período de produção (frutificação). Logo após esse tempo, a planta produzirá novas flores e em consequência mais frutos, mas também vai envelhecer e reduzir sua produção. “Quando isso acontecer, ela então poderá ser substituída por uma nova planta”, aconselha Ribeiro. O ciclo de vida de uma pimenteira, se bem cuidada, pode durar até um ano.
 
Topo