Últimas de Estilo de vida

Encardiu? Veja como limpar as pedras que revestem pisos e paredes

Getty Images
Para a limpeza periódica, opte por um esfregão ou uma vassoura de cerdas macias imagem: Getty Images

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

As pedras com acabamento rústico são bastante usadas para revestir paredes e pisos domésticos. Porém, após a aplicação do material rochoso, surge a dúvida: como limpar corretamente, mantendo a superfície sempre bonita? O UOL Casa e Decoração traz dicas práticas de limpeza e conservação, além de listar as características das principais pedras encontradas no mercado. Acompanhe e facilite a faxina!

Como limpar

- As pedras para revestimento mais porosas e com rugosidade demandam limpeza regular e cuidados constantes para evitar o acúmulo de sujeiras. No caso de pisos residenciais, o recomendável é uma varrição diária, usando uma vassoura limpa.

Getty Images
O recomendado é utilizar pouca água durante a limpeza imagem: Getty Images

- Faça também a limpeza periódica (semanal ou quinzenal) dessas rochas, tanto em paredes quanto em pisos, por meio de escovação. Para tanto, utilize esfregões ou vassouras de cerdas macias e uma solução de detergente neutro diluído em água. Evite o excesso de água na lavagem e nunca aplique o detergente diretamente sobre a pedra, porque essas ações podem ocasionar manchas no material.

- O uso eventual - em média, a cada três meses - de lavadoras de alta pressão (sem a adição de produtos químicos) para a higienização mais pesada de superfícies naturais não polidas, por exemplo de granitos e quartzitos, não é contraindicado. Contudo a utilização frequente (para a limpeza cotidiana) desses equipamentos pode levar à desagregação de minerais do material rochoso e comprometer a durabilidade do revestimento. Portanto, moderação no emprego desse recurso é a palavra de ordem.

Produtos vetados

- Nunca faça uso de produtos abrasivos ou quimicamente agressivos como soda cáustica, álcool, querosene, removedores e solventes sobre pedras rústicas. Limpe apenas com agentes que detenham pH neutro. Substâncias ácidas ou alcalinas podem promover reações químicas com os minerais presentes na composição da rocha e resultar na descoloração da superfície, por exemplo.

Principais pedras de revestimento

  • Mármore poroso

    Os mármores porosos como travertinos e limestones são classificados "rochas carbonáticas" e, em geral, compostos por minerais calcita (carbonato de cálcio) e/ou dolomita (carbonato de cálcio e magnésio). Essas pedras, em especial as com rugosidade são mais sensíveis às substâncias agressivas, principalmente as ácidas, se comparadas aos granitos e quartzitos. Usados em pisos, paredes e bancadas.

  • Granito não polido

    Os granitos são rochas silicáticas, ou seja, compostas por silicatos (grupo de substâncias que combinam sílica, água e óxidos metálicos). A enorme diversidade de cores e padrões destas pedras se deve às composições diversificadas (silicatos de cálcio e/ou de potássio, sódio, ferro, magnésio e de outros). Tais rochas são mais resistentes a choques e abrasivos que os mármores e as ardósias.

  • Miracema

    Em termos técnicos, as pedras Miracema são gnaisses (composto por minerais como mica, quartzo e feldspato), um tipo de granito foliado. São bastante utilizadas como lajotas rústicas e resistem bem a choques mecânicos e intempéries e, por isso, são instaladas em áreas externas, como calçadas e jardins.

  • São Tomé, Goiás, Luminária e Pedra Mineira

    São Tomé, Goiás, Luminária e Pedra Mineira são quartzitos foliados (rochas compostas essencialmente por quartzo), todas com semelhanças geológicas, mas que recebem nomes diferentes conforme a localidade de onde são extraídas. Os quartzitos são mais duráveis que os granitos e por propagarem pouco calor e serem antiderrapantes e absorventes são usadas em beiras de piscinas e áreas de lazer.

  • Ardósia

    As ardósias também são rochas silicáticas, porém muito ricas em um mineral chamado mica (malacacheta). Este elemento facilita e permite que esse tipo de pedra se separe em folhas, obtendo assim placas muito finas, com cerca de cinco milímetros. A ardósia é encontrada em três cores: preta, verde ou cinza e é indicada para o uso em ambientes internos.

  • Canjiquinha

    Canjiquinha é o nome que se dá a filetes de rocha, utilizados normalmente em revestimento de paredes, para definir volumes ou criar pontos de destaque. O elemento foi muito usado nos anos 1950. Os quartzitos são os preferidos para produção desse tipo de material, mas pode-se elaborar canjiquinha de mármores e ardósias, entre outras pedras.

Fonte: Cid Chiodi Filho, geólogo e consultor da Abirochas (Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais); e Maria Heloisa Barros de Oliveira Frascá, geóloga e consultora sobre rochas ornamentais

Sujeiras incrustadas

- Óleos, graxas, gasolina, terra, tintas em geral ou outras substâncias como vinagre, limão, refrigerante e vinho tinto, derramados sobre o revestimento, devem ser removidos e limpos com água e detergente neutro com a maior rapidez possível, para evitar o aparecimento de manchas.

- No caso de sujeiras incrustadas, a recomendação é tentar, num primeiro momento, uma limpeza com água e sabão neutro, com o auxilio de escovões com cerdas mais rígidas ou jatos d’água sob pressão. Por exemplo, para limpar a terra acumulada, a orientação é usar uma lavadora com água pressurizada, mas empregada com baixa pressão, de modo a preservar a superfície da rocha.

Principais pedras de revestimento

  • Mármore poroso

    Os mármores porosos como travertinos e limestones são classificados "rochas carbonáticas" e, em geral, compostos por minerais calcita (carbonato de cálcio) e/ou dolomita (carbonato de cálcio e magnésio). Essas pedras, em especial as com rugosidade são mais sensíveis às substâncias agressivas, principalmente as ácidas, se comparadas aos granitos e quartzitos. Usados em pisos, paredes e bancadas.

  • Granito não polido

    Os granitos são rochas silicáticas, ou seja, compostas por silicatos (grupo de substâncias que combinam sílica, água e óxidos metálicos). A enorme diversidade de cores e padrões destas pedras se deve às composições diversificadas (silicatos de cálcio e/ou de potássio, sódio, ferro, magnésio e de outros). Tais rochas são mais resistentes a choques e abrasivos que os mármores e as ardósias.

  • Miracema

    Em termos técnicos, as pedras Miracema são gnaisses (composto por minerais como mica, quartzo e feldspato), um tipo de granito foliado. São bastante utilizadas como lajotas rústicas e resistem bem a choques mecânicos e intempéries e, por isso, são instaladas em áreas externas, como calçadas e jardins.

  • São Tomé, Goiás, Luminária e Pedra Mineira

    São Tomé, Goiás, Luminária e Pedra Mineira são quartzitos foliados (rochas compostas essencialmente por quartzo), todas com semelhanças geológicas, mas que recebem nomes diferentes conforme a localidade de onde são extraídas. Os quartzitos são mais duráveis que os granitos e por propagarem pouco calor e serem antiderrapantes e absorventes são usadas em beiras de piscinas e áreas de lazer.

  • Ardósia

    As ardósias também são rochas silicáticas, porém muito ricas em um mineral chamado mica (malacacheta). Este elemento facilita e permite que esse tipo de pedra se separe em folhas, obtendo assim placas muito finas, com cerca de cinco milímetros. A ardósia é encontrada em três cores: preta, verde ou cinza e é indicada para o uso em ambientes internos.

  • Canjiquinha

    Canjiquinha é o nome que se dá a filetes de rocha, utilizados normalmente em revestimento de paredes, para definir volumes ou criar pontos de destaque. O elemento foi muito usado nos anos 1950. Os quartzitos são os preferidos para produção desse tipo de material, mas pode-se elaborar canjiquinha de mármores e ardósias, entre outras pedras.

Fonte: Cid Chiodi Filho, geólogo e consultor da Abirochas (Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais); e Maria Heloisa Barros de Oliveira Frascá, geóloga e consultora sobre rochas ornamentais

- Em situações em que a higienização sugeria acima não tenha sido eficaz ou a pedra apresente sujidades profundas, o ideal é contratar uma empresa especializada, com experiência comprovada na limpeza de rochas. Para a remoção de limo, que pode aparecer em áreas sombreadas e/ ou úmidas, de modo geral, o serviço recorre à utilização de água sanitária ou produtos fungicidas. Por outro lado, na retirada de manchas de óleos são usadas substâncias absorventes (em pó ou em emplastos), por vezes com algum solvente associado.

- Precaução: durante a instalação de acabamentos rochosos, a dica é impermeabilizar o verso das placas e a base do revestimento (emboço ou contrapiso), a fim de prevenir manchas ou alterações cromáticas decorrentes da infiltração ascendente de umidade. Em revestimentos sujeitos ao contato com óleos, gorduras ou graxas, aconselha-se também a impermeabilização da superfície com produtos hidro e óleo repelentes.

Fontes: Cid Chiodi Filho, geólogo e consultor da Abirochas (Associação Brasileira da Indústria de Rochas Ornamentais); e Maria Heloisa Barros de Oliveira Frascá, geóloga e consultora sobre rochas ornamentais.

Topo