Últimas de Estilo de vida

Cuidados ao contratar a vidraçaria poupam dinheiro e garantem bons serviços

Getty Images
Ao contratar a vidraçaria não é só o custo que deve ser levado em conta. Atente-se! imagem: Getty Images

Juliana Nakamura

Do UOL, em São Paulo

Utilizados principalmente para dar leveza, transparência e amplitude aos espaços, vidros e espelhos estão cada vez mais presentes no design de interiores. Eles são aproveitados de diversas maneiras em acabamentos, painéis de fechamento, detalhes decorativos e mobiliário. Há muitas vidraçarias no mercado que oferecem de vidros simples aos de segurança, indicados para guarda-corpos e escadas. Mas na hora de escolher o fornecedor, é importante tomar alguns cuidados para evitar problemas e acidentes decorrentes do uso de materiais de baixa qualidade ou instalados incorretamente. Veja a seguir algumas dicas para fazer uma aquisição bem sucedida.

Getty Images
Verificar a espessura do vidro é importante para a segurança imagem: Getty Images
1 - Contratação errada: atrasos, vidros fora da especificação, falhas na instalação. Esses são alguns problemas comuns quando se trabalha com vidraceiros pouco experientes ou descomprometidos com o serviço. A entrega de vidros com espessura menor do que a contratada é outra falha grave. Dependendo da aplicação, peças muito finas podem não suportar seu próprio peso e quebrar. Portanto, assine um contrato para fazer possíveis cobranças com segurança e cheque se as especificações estabelecidas pelo arquiteto e/ ou engenheiro foram corretamente atendidas.
Getty Images
Verificar a espessura do vidro é importante para a segurança imagem: Getty Images
Getty Images
Vidro não é "tudo a mesma coisa": consulte o arquiteto ou um vidraceiro experiente imagem: Getty Images
2 - Evitando o "gato por lebre": na hora do recebimento do vidro, é importante conferir a sua espessura, bem como checar se o acabamento e a cor do material são condizentes com o contratado. "Contar com a avaliação de um arquiteto, que tem mais conhecimento técnico, é importante", sugere a arquiteta Ivana Seabra. Todavia, ela explica que, um bom vidraceiro é capaz de orientar o seu cliente quanto ao produto mais indicado para cada aplicação e que há, também, equipamentos necessários para saber, por exemplo, se o vidro é, de fato, temperado.
 
 
Getty Images
Peça indicações para parentes, amigos e para o projetista imagem: Getty Images
3 - Compra de confiança: para encontrar uma vidraçaria de confiança e com bons profissionais, nada melhor do que a indicação de quem já testou o serviço. De modo geral, arquitetos e designers de interiores possuem uma lista de empresas com as quais vale a pena fazer negócio. Também é possível consultar a internet e verificar se há muitas reclamações sobre a empresa em questão. É recomendável, por fim, checar o tempo de mercado da empresa e o seu portfólio.
 
Getty Images
Para guarda-corpos use vidros especiais, como os temperados imagem: Getty Images
4 - Vidro de qualidade: a procedência do vidro é um fator importante para avaliar sua qualidade. Normalmente, fornecedores tradicionais, com anos de estabelecimento, mantém a boa origem de seus produtos para que não sejam desprestigiados perante o mercado. Na hora de comparar propostas não foque apenas no preço. Por exemplo, os temperados, também conhecidos como vidros de segurança, precisam ter uma identificação indelével do fabricante impressa na placa.  Além disso, fornecedores de confiança geralmente têm certificação do Inmetro ou selo ISO 9001, portanto, atente-se!
 
Getty Images
Instalações e acessórios inadequados podem danificar chapas de boa qualidade imagem: Getty Images
5 - Problemas na instalação: de pouco adianta um produto de qualidade se a instalação não for adequada. Um projeto de execução, com informações sobre os acessórios, peças de ancoragem, perfis e vedação é fundamental, especialmente em aplicações complexas, como fechamentos de varandas e boxes de banheiros. Portanto: peça as especificações detalhadas e o acompanhamento para um engenheiro civil e/ou um arquiteto. Para não ter surpresas, porém, certifique-se da qualificação profissional do instalador.
 
Getty Images
A regularidade da superfície é importante ao instalar espelhos imagem: Getty Images
6 – Espelhos: no caso dos espelhos, a qualidade é fundamental para evitar que, passados poucos meses, a peça comece a escurecer ou a ficar manchada. Os fornecedores mais conceituados também costumam apresentar marcas gravadas no verso das placas, identificando o fabricante e o código de rastreabilidade. Nos últimos anos, o aperfeiçoamento técnico garantiu a produção de superfícies mais resistentes a manchas, a riscos e arranhões, estes próprios para uso em tampos de mesa, aparadores, revestimento de paredes, etc..
 
Getty Images
Vidros de boa qualidade tem "selos" que não se apagam imagem: Getty Images
7 - Tipos de vidros: vidro não é tudo igual. Além da espessura, da cor e do acabamento (bisotado, impresso, jateado, etc.), há diferenças em relação à resistência, à flexão e a variações de temperatura. Assim, alguns são meramente decorativos e outros, podem compor "estruturas", como fechamentos de fachada. O vidro temperado é um dos mais utilizados porque, em caso de quebra, se fragmenta em pequenos pedaços de bordas pouco cortantes. Em projetos de interiores, o vidro “extraclear” vem sendo bem requisitado, porque não apresenta o tom esverdeado comum aos vidros incolores e transparentes convencionais.
 
Getty Images
Rodinhos específicos ajudam na limpeza de superfícies lisas imagem: Getty Images
8 – Manutenção: o consumidor deve ser orientado pela vidraçaria sobre a melhor forma de executar a manutenção periódica, bem como sobre os cuidados e limitações dos produtos fornecidos. De modo geral, deve-se evitar a aplicação de produtos abrasivos (lixa e palhas de aço) e ácidos sobre as superfícies. Comumente, a mistura “milagrosa” de água e detergente neutro dá conta do recado ou indicam-se os produtos específicos para limpeza de tal material. O cuidado para essas duas soluções de limpeza é: use sempre esponjas, escovas e panos macios, sempre retire por completo as substâncias higienizadoras e seque a superfícies.
 
Fontes: Ivana Seabra, arquiteta; José Antônio Passi, diretor da Divinal Vidros; e Lisiê Tavares Pissetti, arquiteta e designer de interiores.
Topo