Últimas de Estilo de vida

A conta de luz aumentou? Veja como economizar energia sem perder o conforto

Getty Images
Com dicas práticas e ações simples é possível diminuir os gastos com energia elétrica imagem: Getty Images

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

A adoção de novas bandeiras tarifárias em janeiro e a revisão dos valores aprovada pela Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) e em vigor desde março significaram um aumento na conta de luz. E esse acréscimo pode se tornar ainda mais substancioso ao longo do ano, com o reajuste anual aplicado por cada distribuidora de energia. Por isso, a ordem é economizar (o bolso e o planeta agradecem!). O UOL Casa e Decoração conversou com especialistas e lista a seguir dicas de como diminuir o gasto, sem abrir mão da beleza na decoração e do conforto dentro de casa.

1.    Aproveite a luz natural

Getty Images
imagem: Getty Images

Se você quer gastar menos energia elétrica, a dica básica é priorizar a iluminação natural. Durante o dia, evite ligar as luminárias deixando as cortinas e janelas abertas. Caso não seja possível, use cortinados feitos de tecidos mais leves e translúcidos que permitam a passagem da luz do sol. Se trabalha em casa, faça-o em um cômodo com boa luminosidade natural e posicione a escrivaninha bem próxima à janela.

2.    Use cores claras nas paredes e tetos

Getty Images
imagem: Getty Images

Cores claras significam economia. Como? Quando matizes clarinhos são aplicados nas paredes e no teto, as superfícies passam a refletir e a espalhar de maneira mais homogênea e eficiente a luz, seja ela natural ou artificial, pelo ambiente. A reflexão eficaz demanda menos pontos de luz e pode ajudar no aproveitamento prolongado da luminosidade que entra pelas janelas e portas.

3.    Troque lâmpadas incandescentes por fluorescentes ou LEDs

Getty Images
imagem: Getty Images

De acordo com a AES Eletropaulo(distribuidora que abastece a região metropolitana da capital paulista), as lâmpadas fluorescentesLEDs economizam até 80% de energia em comparação com as incandescentes. Embora o custo seja mais elevado, a troca é vantajosa e a longo prazo o investimento "se paga". Além de gastarem menos energia, as fluorescentes e LEDs são bastante duráveis. Segundo dados da Eletrobrás (Centrais Elétricas Brasileiras S.A.), a substituição de uma lâmpada incandescente com 60 watts por uma LED com potência equivalente, gera uma economia de R$ 36 no ano, se considerado um uso diário de quatro horas. E, enquanto a incandescente dura mil horas, o sistema LED tem vida útil média de 25 mil horas. Ficou convencido, mas não tem dinheiro agora? Troque as lâmpadas aos poucos, priorizando os cômodos de maior uso e permanência, como a sala de estar e a cozinha.

4.    Adquira aparelhos mais eficientes

Getty Images
imagem: Getty Images

Para uma economia na conta de luz e um consumo sustentável de energia, invista em eletrodomésticos com baixo nível de consumo energético. Na hora da compra de geladeiras, ares-condicionados, televisores e lavadoras, procure o selo do Procel (Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica), no caso dos eletros nacionais, e pela etiqueta Energy Star em aparelhos importados. Essas identificações indicam a demanda de eletricidade de cada modelo e comprovam que os produtos passaram por testes laboratoriais que atestam a eficiência energética.

5.    Esqueça a função stand-by

Getty Images
imagem: Getty Images

Nunca deixe os aparelhos ligados na tomada em "stand-by", o “modo espera” que permite ligar o equipamento diretamente, por meio do controle remoto. De acordo com dados da Eletrobrás, o consumo da função pode chegar a 12% de toda a energia utilizada na casa. Logo, a comodidade não compensa o desperdício. A saída é uma só: tire o eletrodoméstico da tomada quando o item não estiver em uso.

6.    Mude seus hábitos de uso

Getty Images
imagem: Getty Images

Pequenas ações no dia-a-dia ajudam na economia de energia em casa. Portanto, mude seus hábitos de uso:

  • Ferro de passar: acumule uma boa quantidade de roupas e passe tudo de uma só vez. Além disso, respeite a temperatura indicada no aparelho para cada tipo de tecido.
  • Geladeira: não a posicione junto ao fogão, porque o equipamento consumirá mais energia elétrica para compensar o ganho de temperatura. Mantenha-a afastada pelo menos 15 cm da parede para evitar o superaquecimento e, especialmente, evite abrir muito o eletrodoméstico e, quando o fizer, diminua o tempo em que a porta permanece aberta. Como? Por exemplo, antes de cozinhar, retire todos os ingredientes necessários de uma só vez. 
  • Ar-condicionado: durante o uso, mantenha as portas e janelas fechadas e faça a limpeza periódica dos filtros de ar para impedir sobrecargas.

7.    Em obras ou reformas, invista num bom projeto luminotécnico

Getty Images
imagem: Getty Images

Para quem pensa em construir ou reformar, o conselho é adotar um bom projeto luminotécnico, que contemple soluções econômicas e aproveite o máximo de luz natural. Tente inserir janelas e portas amplas no imóvel e, se possível, inclua pontos de iluminação zenital, a exemplo das claraboias. Use, também, sensores de presença em áreas como garagens, corredores e halls de entrada e em salas de estar e quartos, instale dimmers eletrônicos para o controle da intensidade de luz. Pode parecer bobagem, mas esses dispositivos simples oferecem reduções no consumo, ao minimizar a possibilidade de esquecer uma lâmpada acesa e diminuir a demanda de energia, quando o clima pede luz mais amena.

Fontes: Leila Dionizios, arquiteta; Rafael Meirelles David, gerente da Divisão de Estudos e Equipamentos Eficientes da Eletrobras; Rubens Leme, coordenador de usos finais de energia da AES Eletropaulo e Semíramis Alice Paz, arquiteta e designer de interiores.

Topo