Casa e decoração

Trepadeiras são vistosas, embelezam e dividem espaços; veja como cultivar

Simone Sayegh

Do UOL, em São Paulo

Trepadeiras são plantas bonitas e cheias de movimento que têm como principal característica a fixação para a ancoragem de seu processo de desenvolvimento e crescimento. Pergolados, caramanchões, arcos, treliças, muros, grades, alambrados ou simples tutores podem servir como suporte, embelezando jardins ou mesmo dividindo espaços internos e externos.

Porém, cada tipo de trepadeira se adapta melhor a um modelo de estrutura. Para as pérgolas, por exemplo, as espécies com flores pendentes são as ideais, como a jade vermelha (Mucuna bennettii), a glicínia (Wisteria floribunda) ou a sapatinho de judia (Thumbergia mysorensis ). Para os caramanchões são indicadas as mais vigorosas como o jasmim dos açores (Jasminum azoricum), a madressilva (Lonicera japônica) ou a sete léguas (Podranea ricasoliana). Muros, cercas, grades e alambrados podem receber a tumbérgia (Thunbergia grandiflora), a flor de São João (Pyrostegia venusta) ou o cipó rosa (Cuspidaria convoluta). Já treliças e arcos suportam plantas de crescimento moderado como a ipoméia (Ipomoeasp), a mandevila (Mandevilla x amabilis), e o clerodendro vermelho (Clerodendrun splendens).

Getty Images
As vinhas também são decorativas. Trepadeiras vigorosas como elas cobrem pérgolas em até um ano imagem: Getty Images

Qualquer que seja a trepadeira, preste atenção ao plantar o torrão seja no vaso ou diretamente na terra, para não danificá-lo, e no posicionamento do tutor (normalmente uma estaca de bambu) para que a planta fique estável e seja possível conduzir sua folhagem. Para o melhor cultivo, ofereça sol pleno ou meia sombra e solo bem adubado. As podas, na maior parte das vezes, são apenas "de formação" e as regas devem ser feitas com regularidade: duas ou três vezes por semana, nos períodos mais quentes, e uma vez por semana, nos mais frios.

Vigorosas ou delicadas

As trepadeiras podem ser divididas, basicamente, em dois grandes grupos: as mais rápidas e vigorosas e as mais lentas e delicadas. As primeiras, quando conduzidas adequadamente (amarração e condução com fios de arame) podem "fechar" um pergolado em cerca de um ano. De maneira geral (sem levar em conta diferenças de clima, solo e fertilidade), as trepadeiras com crescimento mais rápido e de estrutura mais vigorosas são a madressilva, a tumbérgia azul, a primavera (Bougainvillea spectabilis), a sete léguas e o cipó rosa. Já as mais delicadas incluem o jasmim (Jasminum grandiflorum), a lágrima de cristo (Clerodendron thomsonae), o sapatinho de judia, a viuvinha (Petrea volubilis) e a ipoméia.

As trepadeiras lenhosas, como as primaveras - que também costumam ser chamadas de arbustos escandentes (trepadores) -, precisam ser completamente guiadas para tomar forma. Se o espaço é exíguo e não comporta plantas grandes, com caules grossos e mais difíceis de podar, opte pelas variedades lenhosas e um pouco mais delicadas. Outro cuidado é evitar alocar as trepadeiras vigorosas e com raízes robustas, como é o caso da unha de gato (Ficus pumila), em espaços com muitas tubulações, pois as plantas podem danificar os canos.

Fontes: Alexandre Galhego, Ana Karina Piedade, Eduardo Luppi e Thamires Escorse, paisagista.

Getty Images
As vinhas também são decorativas. Trepadeiras vigorosas como elas cobrem pérgolas em até um ano imagem: Getty Images
Topo