Casa e decoração

Das "mil e uma noites": saiba porque alguns tapetes custam tão caro

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

Reconhecida mundialmente como obra de arte, a tapeçaria persa é unanimidade quando o assunto são tapetes luxuosos. Mas, além desses famosos modelos, existem outras variedades que se destacam por sua origem, material nobre e/ou o modo como são produzidos. O UOL Casa e Decoração conversou com profissionais de decoração e elenca a seguir os tapetes dignos das “mil e uma noites” e as razões pelas quais eles custam tanto.

Os mais luxuosos (e caros!)

Getty Images
As peças confeccionadas à mão são mais caras se comparadas às industrializadas imagem: Getty Images
Com relação à origem, os tapetes suntuosos podem ser divididos em cinco categorias: persas, turcos, indianos, europeus e asiáticos. Entre eles, o modelo mais caro, atualmente, é o persa produzido no Irã. Feitos manualmente, essas peças podem demorar anos para ficarem prontas.

O custo da tapeçaria persa varia muito conforme o material, a quantidade de nós e se o produto passa ou não por algum processo industrializado. Parte dos modelos disponíveis é encontrada no Brasil e é vendida por somas que partem de R$ 1.500, o metro quadrado. Porém, de acordo com as designers Ana Valpaços e Rosa Prado, os persas de seda com mais de 50 nós por centímetro quadrado chegam a alcançar o valor de US$ 15 mil, pela metragem quadrada.

O Brasil também tem tapeçarias de qualidade e a custos menores, quando comparadas as de outros países. Contudo, os modelos considerados "de luxo", seguem parte da lógica que rege os preços nesse mercado. A diferença é que aqui, o material utilizado é o primeiro (ou o mais forte) balizador. Por exemplo, as peças compostas de fios de náilon (da marca estrangeira Antron) tendem a ser mais caras, com preço médio R$ 1.500 (o metro quadrado), enquanto o valor de tapetes em couro gira em torno de R$ 900 (o m²) e os custos dos de algodão alcançam o patamar dos R$ 700 (o m²).

Por que custam tanto?

De maneira geral, três principais fatores influenciam o valor de um tapete: o modo de produção, o material usado na confecção e a exclusividade. Uma peça artesanal, manuseada por um único artesão para que os nós não variem, pode levar anos para ser concluída, por isso, seu preço é tão superior se comparado ao de um produto industrializado. A quantidade de nós e sua simetria na malha também elevam o valor da tapeçaria feita à mão.

Divulgação
O couro é um material bastante valorizado no mercado brasileiro de tapeçaria imagem: Divulgação
Com relação ao material, os de seda, couro, algodão e lã são bem valorizados no mercado brasileiro. A seda garante mais resistência, beleza e brilho dos fios, mas todas essas qualidades têm um custo: R$ 5.000 o metro quadrado (preço médio).

Por fim, o luxo do produto pode estar na personalização desejada pelo comprador. Uma peça em perfeita harmonia de cores e desenhos com o clima do ambiente é exclusiva e apenas esse fator já é suficiente para impor a média de R$ 1.600 por metro quadrado, explica a arquiteta Fernanda Moura Borio. Assim, se o cliente solicitar um produto artesanal, feito por um só artista, com materiais nobres, desenho exclusivo e muitos nós, a cifra pode se tornar exorbitante.

Mas vale o investimento?

Tapetes nobres, principalmente os feitos à mão, possuem características únicas que nunca serão passíveis de uma reprodução fidedigna ou idêntica, são efetivamente obras de arte. Conforme afirma a arquiteta Isabella Estrela, o valor está nesta exclusividade. Fora isso, no caso da persa legítima, com o passar do tempo, a tapeçaria fica ainda mais valiosa e, em pouco anos, seu preço chega a dobrar. Desta forma, a aquisição de um exemplar é um ótimo investimento financeiro, além - é claro - de decorar, proporcionar aconchego e valorizar sua casa.

Divulgação
O couro é um material bastante valorizado no mercado brasileiro de tapeçaria imagem: Divulgação
Topo