Casa e decoração

Batata-doce agrada aos fitness e aos caipiras no 'arraiá', plante em casa

Getty Images
Batata-doce: a delícia junina caiu nas graças dos fitness, mas também serve para enfeitar imagem: Getty Images

Simone Sayegh

Do UOL, em São Paulo

A batata-doce (Ipomoea batatas) é originaria da América (tropical), mas foi levada para a Europa pelos portugueses e espanhóis, difundindo-se de lá para os demais continentes. Muito lembrado no período das festas juninas, o alimento serve como base para receitas como sopas, pães e assados, mas nem só de fogão ele vive. O Brasil é o 10º maior produtor mundial e quase toda a colheita está voltada para consumo ‘de mesa’, porém essa raiz pode ser utilizada, também, como fonte alternativa de bioenergia, produzindo biomassa para obtenção de álcool combustível, por exemplo.  

Solo e rega

Como regra geral, a rústica batata-doce é resistente à seca e se desenvolve em qualquer tipo de solo, mas os ideais são os mais leves e soltos, com boa fertilidade e aeração e bem drenados. O cuidado na escolha da terra se dá, porque o excesso de matéria orgânica e nitrogênio, assim como de umidade, provoca o desenvolvimento de ramas e diminui a formação de raízes, enquanto solos compactados ocasionam queda de produtividade.

Planta que demanda muito sol, temperaturas entre 20 e 30 °C e pouco vento, a batata-doce pede irrigações regulares durante o plantio. Botanicamente, a cultivar é uma raiz de armazenamento, ou seja, um reservatório de nutrientes para que a planta possa sobreviver em situações difíceis. A batata-doce não produz tubérculos e, sim, raízes tuberosas, que é o que comemos.

Principais cultivares recomendadas para consumo

  • Getty Images

    Beauregard: casca rosada escuro e polpa amarelo intenso. Textura bem úmida

    Imagem: Getty Images
  • Divulgação/ Embrapa

    BRS - Amélia: casca rosada e polpa amarela. Extremamente doce

    Imagem: Divulgação/ Embrapa
  • Divulgação/ Embrapa

    BRS - Cuia: casca creme e polpa creme.Textura úmida

    Imagem: Divulgação/ Embrapa
  • Divulgação/ Embrapa

    BRS-Rubissol: casca vermelho vinho e polpa creme. Textura seca

    Imagem: Divulgação/ Embrapa
Fonte: Embrapa

O plantio

Na hora do plantio, a parte utilizada é a rama da planta: enterre (pelo menos) duas gemas (encontro entre o caule principal e um ramo secundário, de onde a nova plantinha irá brotar) de um galho com cinco, em uma cova não muito funda (15 a 20 cm). Se o cultivo for feito em canteiro, deixe a distância de cerca de um metro entre as covas, para que os espécimes possam se desenvolver. Em média, a colheita pode ser feita entre 100 e 180 dias e, por volta de 30 a 45 dias após a retirada do solo, as batatas-doces brotam sozinhas, estando plantadas ou não.

A própria batata-doce, aliás, pode ser plantada: basta cobri-la diretamente com o solo. As brotações também permitem o cultivo, pois cada uma constitui uma nova muda. A época ideal para começar seu canteiro é após o inverno. Mas, se o fim é apenas ornamental, o início da cultura pode ser realizado em qualquer época do ano.

Getty Images
As brotações da batata-doce podem ser usadas como mudas também em casa imagem: Getty Images
Em vasos

Apesar do cultivo fácil, o plantio em vasos requer alguns cuidados, como escolher uma cultivar menos ramificada e com ciclo de vida mais curto. Se o intuito for criar um vaso ornamental, qualquer recipiente que permita uma boa drenagem pode ser utilizado. A batata-doce é bonita, pois apresenta flores em forma de sino. A planta também vai bem em interiores com boa luminosidade, mas nessa condições ela não irá produzir raízes para consumo.

Se o objetivo é saborear as batatas, use vasos grandes (no mínimo, 15 l) e deixe-os diretamente expostos à luz solar. O substrato deve ser arenoso, apresentar boa quantidade de húmus (terra preta) e a frequência de regas é de uma a duas vezes por semana. Como norma, a planta da batata-doce não deve ser podada, mas se o uso for ornamental, as ramas muito compridas, envelhecidas ou amareladas podem ser retiradas.

Normalmente resistente a pragas, não está imune ao ataque de insetos como pulgões e moscas-brancas. Os pulgões podem infestar o exemplar desde cedo, atacando os brotos. Já a mosca-branca (Bemisia tabaci), geralmente, ocupa a face inferior da folha. Para combate-los, use inseticidas domésticos naturais.

Curiosidades

  • Todas as partes da planta são aproveitadas integralmente

  • É utilizada para consumo humano e animal...

    ... além de servir como matéria-prima para alcoóis finos (indústria farmacêutica) e biocombustíveis.

  • Possui elevado valor calórico (carboidratos)...

    ...além de conter ferro, cálcio e fósforo e de ser rica em vitaminas A, B e C, antocianinas e pró-vitamina A. As ramas são fontes de proteína.

  • Existem batatas-doces com diferentes cores de polpa e casca

    Roxo, alaranjado, creme e branco são as mais comuns.

  • É o sexto cultivo mais importante no mundo...

    ... e a China é o principal produtor com 120 milhões toneladas por ano.

  • A NASA selecionou as batatas-doces para serem plantada em missões espaciais de longa duração

    A cultivar foi escolhida por sua eficiência fotossintética.

  • Produz mais etanol (158l/t-1) do que a cana (80l/t-1)

Fonte: Embrapa, Instituto Agronômico de Campinas e Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo

Topo