Casa e decoração

Veja cinco dicas para acertar na escolha do tapete para a sala

Karine Serezuella

Do UOL, em São Paulo

Em uma sala de estar, o tapete arremata a decoração, delimita a área e dá aconchego e beleza ao espaço. Mas como escolher a peça sem correr o risco de errar e estragar a composição? Parece difícil, mas não é: siga essas cinco dicas infalíveis e acerte as proporções, misture cores e estampas de forma harmoniosa e defina o melhor formato para sua tapeçaria.

Uma ressalva: tais macetes são aplicados à composição clássica (quadrada ou retangular), uma das mais populares em decoração. Isso não significa que você não possa usar tapetes redondos, orgânicos ou assimétricos em sua sala. Estas são opções mais modernas e jovens de decorar e podem funcionar muito bem, basta ter (e "segurar" o) estilo.  

Dica 1 - Escolha o tapete por último

Se a decoração da sala está quase no fim, é a hora de escolher o tapete. Desta forma, a possibilidade da peça brigar com as cores e texturas dos tecidos usados na composição é bem menor. Assim, se você optou por um sofá listrado ou estampado, dê preferência a um tapete liso e em tons neutros. Caso os móveis sejam mais "clean", use uma tapeçaria com mais informação para dar cor e deixar o espaço mais interessante.

Dica 2 - Questione-se: o tapete é o coadjuvante ou a peça de destaque?

Getty Images
Para não correr o risco de errar, deixe para definir o tapete por último imagem: Getty Images

Se a ideia é apenas complementar e “amarrar” a decoração com o tapete, use cores neutras que conversem com as dos móveis. Para incrementar o visual, utilize uma peça com texturas, a exemplo das confeccionadas com fibras naturais.

Por outro lado, se o tapete é a vedete do ambiente, não é necessário criar uma combinação óbvia com o restante do espaço. Mas atenção: seja cuidadoso e sensível na escolha das cores e estampas, para que o resultado tenha harmonia. Nesse caso, o "pulo do gato" é procurar lojas que aceitem testar amostras em casa antes da compra.

Dica 3 - O material depende do estilo, mas não só dele

Antes de selecionar o material, leve em conta as perguntas: qual é o estilo da decoração? Algum morador é alérgico? Preciso de uma peça de fácil manutenção? E, de acordo com suas respostas, escolha o tapete mais adequado. Por exemplo, com relação ao estilo, para salas mais sofisticadas, a lã ou a seda são boas opções e, em projetos mais despojados, as tramas naturais de algodão, sisal e bambu caem bem. Agora, se você tem cachorro em casa, adquira uma peça de fibras sintéticas, como o náilon, pois elas são mais resistentes e fáceis de limpar.

Dica 4 - Embaixo dos móveis

As pontas do tapete devem sempre ficar pelo menos 15 centímetros embaixo do mobiliário existente, ao menos dos de grande porte, como sofá e poltronas. Essa regra é especialmente valiosa se a sala não é tão grande e o sofá está colado à parede. Em áreas de estar grandes, com circulação por todos os lados, escolha uma tapeçaria que acomode sobre si todos os móveis, "abraçando" o ambiente. Para que o acabamento fique mais bonito, o ideal é que haja uma sobra de cerca de 30 cm para cada lado.

Procure não deixar o tapete apenas no centro da sala, sem conexão com os móveis, ou empregar uma peça que ocupe por completo o piso do cômodo. As duas situações dão impressão de que a tapeçaria foi comprada no tamanho errado.

Dica 5 - O formato do tapete é definido pelo ambiente

Como as salas de estar são, de modo geral, quadradas ou retangulares, o tapete tende a seguir tais formatos e a escolha entre essas duas possibilidades vai depender da disposição dos móveis. Mas se você tem uma peça linda, porém pequena para seu espaço, faça uma sobreposição: coloque um modelo mais neutro e por cima dele, o “especial”.

Fontes: Camila Buciani, arquiteta do escritório RCB Arquitetura; Flavia Gerab, arquiteta e Leo Di Caprio, designer de interiores.

Topo