Construção e reforma

Dicas para escolher, dimensionar e instalar a coifa em cozinhas integradas

Getty Images

Bruno Loturco

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Cada vez mais comum em apartamentos e muito solicitada em reformas, a integração entre cozinha e sala, com direito à ilha de cocção, exige a instalação de uma boa coifa. Afinal, ninguém quer deixar a casa toda cheirando à fumaça e gordura.

Primeiro você precisa saber que a coifa é um exaustor (suga o ar quente, a fumaça e os odores desagradáveis para fora do ambiente) e não um depurador. A segunda informação básica é: depuradores (que sugam o ar e retêm a gordura contida nele por meio de filtros) não são tão eficientes para ambientes assim.

Mas por quê? Porquê é preciso eliminar o ar impuro do ambiente, o que exige a existência de um duto entre o equipamento e o espaço externo, coisa que o depurador não tem. "Esses equipamentos só devem ser usados em último caso, quando não é mesmo possível a instalação de uma coifa com duto", recomenda o arquiteto José Claudio Falchi.

Assim, se o seu apartamento não tem esse duto pré-instalado, você não vai escapar da quebradeira. Para te ajudar na tarefa de escolher o melhor aparelho e fazer uma boa instalação, o UOL selecionou algumas dicas; veja.

O be-a-bá da coifa

Marcos Inoue/ Arte UOL
imagem: Marcos Inoue/ Arte UOL
Tamanho e potência

  • O tamanho da coifa depende da dimensão do fogão e não do ambiente. O ideal é que os limites da coifa extrapolem em 10 cm (para cada lado) os do fogão ou 'cooktop'. Atenção: para equipamentos colados à parede, considere três lados (laterais e frente) e para ilhas, os quatro. Caso não seja possível, opte por um modelo com maior potência.
  • A capacidade do motor influencia na eficiência da instalação. Em média, a vazão de 900 m³/h é o suficiente. Mas como medir a potência? Um truque simples é colocar um pequeno caderno sob o equipamento: para ser eficiente, o motor tem que ser capaz de sugar o caderninho e mantê-lo grudado na grelha do filtro.

Eficiência x beleza

  • Nem sempre as coifas mais bonitas são as mais úteis, pois o formato da chaminé também determina a força de absorção do aparelho. As piramidais são mais eficientes do que as retangulares. Equipamentos com perfis mais baixos (como os de desenho retangular) podem ser mais bonitos, mas acabam por requerer motores maiores, que podem ser muito barulhentos. Para não ter surpresas desagradáveis, teste a coifa antes da compra.
  • Modelos com vidro tendem a ter uma perda de até 40% da área de captação: enquanto um aparelho convencional para um fogão de seis bocas possui três filtros, um com vidro tem apenas dois. Assim, se a estética prevalecer, a exaustão pode ser menos potente. Pese esses dados.
  • Para qualquer modelo, feche portas e janelas antes mesmo de iniciar uma fritura ou outra atividade que produza cheiros e fumaça. A sucção da coifa torna-se mais eficiente sem a interferência de correntes de ar.

Posição

  • Coifas encostadas às paredes tendem a ser mais eficientes, porque o motor fica responsável por sugar apenas 'três lados'. Além disso, sofrem menos influência de correntes de ar, que deslocam a fumaça produzida para fora dos limites de captação.
  • As instaladas sobre ilhas de cocção, além de mais sujeitas a correntes de ar, são mais visíveis. Logo, precisam ter bom design, o que invariavelmente leva o usuário a optar por modelos mais esbeltos e com vidro. Nesses casos, redobre a atenção com a capacidade de sucção.

Marcos Inoue/ Arte UOL
imagem: Marcos Inoue/ Arte UOL
Altura e duto

  • Para fogões encostados em paredes, a distância recomendável para a coifa em relação às bocas é de 80 cm. Aparelhos sobre ilhas (seja com fogão ou 'cooktop') devem ficar a, no máximo, 75 cm de altura.
  • O ideal é que o duto não faça muitas curvas até a ligação com o exterior, aumentando a capacidade de exaustão.
  • Quando o imóvel já conta com o sistema para coifa, o instalador precisa ser bastante preciso ao cortar o forro para fixação do suporte do duto vertical. Também pode ser necessário fazer a abertura de um buraco para passagem do duto flexível para descarga de fumaça para o exterior da residência, portanto, atente-se e peça um orçamento completo com todo o detalhamento do serviço.

Limpeza

  • Não tem choro, nem vela: limpe a coifa semanalmente a fim de desengordurar e evitar entupimentos e mau desempenho.
  • Os filtros dos modelos mais modernos (de boa qualidade) geralmente são feitos com telas de aço inox, que devem ser lavadas semanalmente. Não há necessidade de troca.

Fontes: José Claudio Falchi, arquiteto; Luiz Voltera, da Voltera Coifas, especialista em instalação e manutenção do equipamento.

Cozinha integrada: vale a pena ter uma?

Resultado parcial

Total de votos
Total de votos
Topo