Construção e reforma

Calcule o material para dar acabamento à parede do chapisco até o reboco

Rogério Doki/ Arte UOL
As três camadas do acabamento de parede são: chapisco, emboço e reboco, aplicadas nesta ordem imagem: Rogério Doki/ Arte UOL

Juliana Nakamura*

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Chapisco, emboço e reboco formam o trio usado para dar aquele trato em muros e paredes ‘peladas’. Dessas três camadas, a principal é o emboço, responsável por vedar, regularizar a superfície e proteger a edificação.

A execução das três coberturas não é cara e se basta em poucos materiais básicos, como areia, cal e cimento. A junção desses itens tem proporções variáveis, mas há uma "receitinha de bolo" que pode ser seguida e dá uma ideia do quanto cada mistura rende.

Rogério Doki/ Arte UOL
imagem: Rogério Doki/ Arte UOL
- Chapisco: é a camada menos espessa e mais grosseira de revestimento, que antecede o emboço e garante sua aderência à parede. Pode ser feito com traço 1:3, ou seja, uma lata de cimento para três latas de areia grossa. Para este montante, o rendimento é de 35 m², em média.

Rogério Doki/ Arte UOL
imagem: Rogério Doki/ Arte UOL
- Emboço: é a massa propriamente dita e tem a função de regularizar a base. Pode ser preparado com traço 1:2:8. Aqui você usará uma lata de cimento, duas latas de cal e 8 latas de areia média. Essa proporção rende o suficiente para cobrir 12 m², considerando 1,5 cm como a espessura média e ideal da camada.

Rogério Doki/ Arte UOL
imagem: Rogério Doki/ Arte UOL
- Reboco: também conhecido como “massa final” é a camada mais “delicada” e de acabamento, usada como uma cobertura uniforme apta a receber a pintura. Pode ser feita com traço 1:5 (1 lata de cimento para 5 latas de areia média) e tem aplicação com rendimento de cerca de 5 m², para uma espessura média de até 1 cm.

Quanta água vai? O cálculo da água para cada uma das três misturas é determinado por alguns fatores, como a consistência que se deseja dar ao preparo, o tempo entre o tempero da massa e sua aplicação e se a areia está seca ou úmida.

Todavia, é possível considerar uma média de 20 a 25% de água em relação ao montante de materiais para qualquer dos casos. Uma dica: junte a água aos poucos. É mais fácil corrigir a argamassa incluindo o líquido do que acrescentando a areia, o cimento e a cal.

Materiais: como comprar

A areia pode ser comprada em metros cúbicos ou em sacos de 20 quilos. Para se ter uma ideia, 1 m³ de areia enche aproximadamente 55 latas de 18 litros. O cimento é fornecido em sacos de 25 ou 50 quilos e a cal em embalagens de 20 kg. A partir desse ponto, para descobrir a quantidade de cada material para produzir a argamassa, leve em conta o traço (proporção de cimento, areia e cal) indicado para a feitura de cada uma das camadas (imagens acima).

Se não quiser ter trabalho, existem argamassas prontas, normalmente em embalagens com 20 kg, que têm rendimento variável conforme o indicado pela fabricante. O problema, neste caso, é o preço: a mistura industrializada é mais cara. 

Qualquer que seja a sua escolha, esteja atento ao armazenamento dos materiais, que deve ser feito em locais protegidos da chuva e longe da umidade. Este é o principal fator a acarretar o desperdício desses insumos. Também vale ficar de olho no prazo de validade impresso nas embalagens de cimento, cal e argamassa. O cimento, em especial, não pode ficar muito tempo guardado, sob o risco de empedrar. Para evitar a perda deste produto, faça compras a cada 15 dias, conforme a necessidade da obra.

O uso

Se a parede ou o muro é externo, o mais comum é a aplicação das três camadas. No caso de paredes internas que receberão acabamento com cerâmica, revestimentos cimentícios, lambris de madeira, tinta etc., é usual o emprego somente do chapisco e do emboço ou apenas do emboço. Neste último caso, use a argamassa industrializada, pois ela contém um aditivo para melhorar a aderência.

A próxima etapa é a aplicação do acabamento em si. A cerâmica, por exemplo, será colada com a argamassa de assentamento e, na hora de regularizar a superfície para a pintura, tem se tornado cada vez mais comum a substituição do reboco por uma camada de massa corrida ou acrílica.

Fontes consultadas: Angela Ishibashi, arquiteta; C&C - Casa & Construção; José Cláudio Falchi, arquiteto, sócio do Falchi ArquiteturaLuís Nishi, arquiteto dos escritórios Laka Decora e JDVD; Marcos Biarari, arquiteto, sócio do escritório Biarari & Rodrigues.

* com Daiana Dalfito, da Redação.

Topo