Projetos

Nos EUA, estudante une conforto e economia em casa sobre rodas com 13 m²

Juliana Simon

Do UOL, em São Paulo

Como muitos universitários, o norte-americano Joel Weber se viu em um grande impasse ao conseguir uma vaga na faculdade de Design, na Universidade do Texas: como conseguir pagar por uma moradia? A solução veio na forma de uma pequena casa sobre rodas, construída pelo próprio Joel. O trailer tem 13 m² que, surpreendentemente, incluem duas camas, área para leitura e escritório - com banco e mesa -, despensa, cozinha com mini refrigerador e fogão a gás e um banheiro com banheira.

Joel (ou Tarzan, como ele próprio se apelida) começou sua "tiny home" (pequeno lar, em tradução livre) em 2014 e levou um ano entre o projeto e a construção. "O gasto total foi de 15 mil dólares [pouco mais de R$ 48 mil, segundo cotação do dia 04.out.2016]. Então, por menos que o preço de um carro, eu consegui uma casa", conta o estudante em entrevista ao UOL.

O processo

Em princípio, a ideia era trabalhar com um vagão de trem ou um contêiner como base para a obra, "mas eu queria mesmo algo que tivesse mais cara de 'casa'. Então decidi construir uma espécie de cabine sobre rodas", afirma.

Segundo Joel, além da falta de dinheiro e de tempo, por estudar em período integral, a maior dificuldade foi criar um protótipo do zero. "Já estava envolvido em projetos de jardins, reformas e design de interiores. Mas, até então, não havia construído uma casa, apesar de me interessar pela arquitetura e seus estilos. Também não tinha conseguido encontrar referências que me agradassem", declara.

A solução foi voltar a sua casa da infância e relembrar a temporada que passou na Nicarágua para resgatar o significado do que é um lar, uma morada simples e confortável. O processo o levou ao modelo loft, decorado com móveis garimpados e objetos naturais, como os feitos de fibras, e uma iluminação bem cuidada e aconchegante. A estrutura foi pensada de modo a incorporar materiais ecologicamente corretos e reciclados e o exterior ganhou inspiração na natureza e, por isso, a madeira é o elemento principal e a cor do acabamento é verde clara. 

Casa itinerante

Além da economia com moradia estudantil, Joel aponta outra vantagem em ter uma casa móvel: criar "raízes", mesmo que temporariamente, por onde quer ande. Hoje, o trailer está no terreno de alguns amigos, na cidade de Austin, e o rapaz conta com a ajuda da comunidade para deixar seu cantinho ainda mais bonito e funcional. "Durante todo esse tempo, contei com o apoio voluntário de vários especialistas, que me ajudaram na construção e me ensinaram muitas técnicas que eu não conhecia", diz.

Personagem de reportagens ao redor do mundo, o estudante já conquistou certa fama e, agora, trabalha como consultor para outros projetos semelhantes ao seu, nas horas vagas da faculdade. Sobre o futuro, Joel afirma que está "totalmente aberto para o que a vida pode trazer": "Eu adoraria inspirar mais pessoas", conclui.

Topo