Casa e decoração

Vendas de imóveis novos em SP caem mais de 30% em outubro

VIVIAN PEREIRA

As vendas de imóveis residenciais novos na cidade de São Paulo caíram 33,5% em outubro na comparação com o mesmo mês do ano passado, para 2.017 unidades, informou nesta terça-feira (20) o sindicato que representa o setor imobiliário na capital paulista, Secovi-SP. 

Em relação a setembro, o recuo nas vendas foi maior, de 37,7%, enquanto nos dez meses até outubro a capital paulista acumula queda de 20,8%.

A velocidade de vendas, medida pela relação de venda sobre oferta, também cedeu em outubro, para 11,9%, quase metade do nível apurado um ano antes, de 23,5%. Em setembro, o índice ficou em 18,7%. 

Segundo a entidade, o resultado foi "atípico" para o décimo mês do ano, marcado por queda nas vendas em todos os meses na comparação anual. "O volume de unidades comercializadas ficará aquém do observado em 2010, conforme tendência observada ao longo do ano", afirmou o economista-chefe do Secovi-SP, Celso Petrucci. 

Segundo ele, o menor volume de lançamentos de dois dormitórios no período pode ser apontado como uma das razões para a queda nas vendas. 

"Os lançamentos de dois dormitórios representavam 52% do total no último trimestre. Agora cresceu muito o lançamento de três dormitórios", disse ele à Reuters. 

"Voltaram a ser produzidos imóveis para o segmento tradicional, que abrange a classe média alta e o exigente mercado emergente, o que reduz a oferta de unidades por empreendimento", afirmou.

O segmento de três dormitórios respondeu pelo maior volume do total comercializado em outubro, com 54,1%.

Em outubro, os lançamentos recuaram 39,4% ante o mesmo mês de 2010, para 3.215 unidades, mas cresceram 17,4% sobre setembro.

Topo