Casa e decoração

Construção civil desacelera pelo terceiro mês consecutivo, aponta CNI

Brasília - O nível de atividade da construção civil desacelerou entre julho e agosto, de acordo com sondagem da Confederação Nacional da Indústria (CNI) divulgada há pouco. O indicador de crescimento do setor recuou de 51 pontos para 50,1 pontos no período, o que representa a terceira queda consecutiva. O indicador de evolução do nível de atividade varia de zero a 100, sendo que valores acima de 50 pontos mostram expansão econômica.

Em junho o índice caiu para 52,4 pontos, ante 53,1 pontos registrados em maio. A desaceleração foi ainda maior em julho, quando o nível de atividade da construção civil recuou 1,4 ponto e fechou em 51 pontos.

Os dados da CNI mostram que o setor continuou crescendo entre julho e agosto, porém a um ritmo menor. O levantamento mostrou que também houve retração na atividade quando comparada o com o nível usual dos meses de agosto. O indicador registrado foi de 48,4 pontos, o que significa desaquecimento no setor.

O número de empregados na construção civil diminuiu entre julho e agosto. Na sondagem da CNI, este índice ficou em 49,5 pontos, ou seja, abaixo dos 50 pontos.

O otimismo dos empresários do setor caiu para o menor nível desde que a pesquisa começou a ser realizada (janeiro de 2010), de acordo com a CNI. O indicador que mede a expectativa do setor para os próximos seis meses recuou para 56,2 pontos em agosto, ante 60,1 pontos em julho.

A sondagem foi realizada com 417 empresas entre 1º e 19 de setembro.

(Thiago Resende | Valor)

Topo