Casa e decoração

MRV nega prática de trabalho escravo

São Paulo - A MRV Engenharia negou hoje que esteja envolvida com práticas de trabalho escravo em suas obras. A empresa diz que possui um processo rigoroso para contratação de empresas prestadoras de serviço e afirma que todas elas estão "devidamente regularizadas".

Ontem, o Ministério Público do Trabalho (MPT) apresentou ações civis públicas contra a companhia, com pedido de pagamento de R$ 11 milhões, referente a irregularidades nos empreendimentos Beach Park, em Americana, e Spazio Monte Vernon, em São Carlos, no interior de São Paulo.

Conforme o procurador do MPT em Araraquara Cássio Calvilani Dalla-Déa, trabalhadores do Beach Park foram submetidos a condições análogas às de escravos, com retenção da carteira de trabalho e atraso nos salários.

"A MRV está tomando todas as medidas necessárias com relação ao caso para defesa de sua imagem e esclarecimento junto ao MPT de eventuais dúvidas que existam sobre a forma que a MRV conduz a gestão de empresas prestadoras de serviço", informou a companhia, em nota.

Ontem, a MRV disse que as irregularidades encontradas "ocorreram há mais de dez meses e foram imediatamente sanadas".

(Ana Luísa Westphalen | Valor)

Topo