Apartamentos

Apê da década de 20 ganha repaginada, mas mantém ares de SP antiga

Ledy Valporto Leal

Colaboração para o UOL, em São Paulo

Ao procurar um apartamento em São Paulo a um custo baixo, o arquiteto Fabrizio Lenci deparou-se com o Prédio Santo Antonio: um pequeno edifício de apenas três pavimentos com dois imóveis de 90 m², cada, por andar. O ‘extra’ era a fisionomia simpática, com características de casa, dada a ausência de elevadores e a presença de uma pequena passarela que soluciona o caimento do terreno.

Apesar de o edifício, construído na década de 1920, ter sido restaurado, o apê precisava de reformas. Com piso destruído, vazamentos em todas as áreas molhadas e instalações elétricas exigindo reparos, a morada aceitaria de bom grado a repaginada radical pensada pelos projetistas do escritório Vapor 324, do qual Lenci faz parte. 
 
O que se desejava era estabelecer novas conexões através da ampliação de todos os espaços, antes segregados, e da intensificação da luminosidade, comprometida pela inexistência de grandes aberturas. No entanto, como o prédio é muito antigo, sua técnica construtiva baseada na alvenaria de tijolos fazia das paredes estruturas portantes, ou seja, elas suportavam as lajes dos pavimentos, o que impedia a simples demolição.
 
Adaptações
 
Com o propósito inicial limitado, a principal intervenção na estrutura original deu-se no trecho da escada que conduz ao apartamento do andar superior. Uma viga metálica oferece o reforço estrutural que possibilitou a demolição da parede que separaria as salas de estar da cozinha, que hoje ocupa o espaço de um dos antigos dormitórios. O quarto principal, aliás, está agora no lugar da cozinha original e se liga a uma varanda, que anteriormente funcionava como área de serviço. 
 
Para deixar evidentes todas as intervenções introduzidas, diferenciando-as dos acabamentos originais, foi adotado um tipo de tratamento para cada material: o novo vigamento metálico de reforço estrutural e os caixilhos modificados são azuis e nos novos pilares de apoio o concreto é aparente. Por outro lado, os espaços que permaneceram com seu uso original (banheiro e escada) foram deixados com a alvenaria sem reboco. As únicas janelas antigas são as da frente e ganharam pintura rejuvenescedora.
 
Por fim, mais uma nova varanda foi criada, permitindo a conexão entre a sala/ cozinha e a varanda posterior. Segundo o arquiteto Thomas Frenk, do Vapor 324, no novo espaço cabe churrasqueira, bicicleta e vasos para a formação de um pequeno jardim, imprimindo um agradável ar de casa ' das antigas' ao confortável apê.

Ficha técnica

Apê JM, São Paulo (SP)

Projeto de Vapor 324

Detalhes do projeto
  • Área Construída 90 m²
  • Início do Projeto 2015
  • Conclusão da Obra 2015
  • Projeto Vapor 324
  • Projeto de Arquitetura Vapor 324 (reforma interna)
  • Projeto de Decoração Vapor 324
  • Projeto Estrutural - Aço Telecki Arquitetura + Gilberto Ogata / Serralheria Placides
  • Construção André Silva
  • Projeto Luminotécnico Reka
Topo