Últimas de Estilo de vida

Apê na Polônia tem divisão vertical de cômodos, feita por chapas de madeira

Giovanny Gerolla

Do UOL, em São Paulo

A polonesa Ewa Czerny, arquiteta e designer de interiores, e seus colegas do escritório 3XA Architekci, Maciej Kowaluk e Lukasz Reszka, encararam o desafio de transformar um apê minúsculo, com apenas 29 m², em uma residência viável, contemporânea e que separasse as funções de uso ‘noturno’ da área social.

“Se tratava do meu apartamento, o que deveria tornar a tarefa mais fácil, mas o trabalho se revelou árduo e foi objeto de muito preciosismo: tivemos de buscar os detalhes e a dimensão ideal para cada solução, cada móvel, a fim de chegar em um ‘layout’ confortável e econômico que abrigasse até duas pessoas”, conta a arquiteta.

A unidade está em um edifício com mais de 100 anos, localizado em um dos mais belos bairros históricos do centro da cidade polonesa de Wroclaw, conhecido como Nadodrze. A área se transformou, nos últimos anos, em um badalado reduto de artistas, lojas de design, galeristas, cafés e restaurantes, graças a um programa conjunto entre a prefeitura local e a União Europeia, para revitalização urbana e social.

Pequeno, em “compensado”

O resultado do projeto mostra que pensar com cuidado sobre o espaço faz a diferença: o pé-direito original, com 3,7 m de altura, era 'maior' que a própria área superficial do imóvel: isso gerava “uma sensação claustrofóbica, que nos motivou a distribuir os usos verticalmente, separando o dormitório da área social”.

No 'pavimento principal' estão cozinha, living o corredor de entrada da residência que também dá acesso ao banheiro e abriga o closet. Elevada a 1,85 m fica a cama, sobre um semi-mezanino estruturado em OSB (do inglês Oriented Strand Board), ou seja, painéis de tiras de madeira prensadas e orientadas. O material, com grande resistência mecânica, pôde ser usado de maneira estrutural, neste contexto, e é uma solução barata.

Milimétrico

A mobília também ajuda na distribuição do espaço: friamente calculada, cria os ambientes ao passo que os integra em um só corpo. “Tivemos que lutar por cada centímetro quadrado”, relata Czerny.  Para dar amplitude e manter a coerência decorativa, os tons escolhido para pisos, paredes e cortinas variam do branco ao bege.

O equilíbrio entre cores, móveis e objetos também se faz na cozinha que, além contar com uma mesa delgada em OSB, detém armários que conversam com a marcenaria da sala. O único contraste é dado pelo preto (que também está nos ladrilhos originais da entrada) em uma parede pintada, em harmonia perfeita com os pendentes e bancos do jantar.

Na onda da revitalização do bairro, a equipe do escritório 3XA buscou recuperar molduras de gesso trabalhadas, em estilo clássico junto ao teto. O piso centenário foi lixado e uma das paredes descascada, a fim de criar uma integração estético-arquitetônica entre os pisos social e íntimo. Na superfície, porém, os tijolos bastante degradados foram pintados de branco, o que não apagou a textura rústica. Para dar continuidade ao resgate histórico, o estar ganhou uma porta “cega” e antiga,  que não é uma passagem e sim um objeto de decoração. Um cuidado formal que cria um clima familiar e dá ares de 'casarão' a tão delicado projeto.

Ficha técnica

Apê 29, Wroclaw, Polônia

Projeto de 3XA Architekci

Detalhes do projeto
  • Área Construída 29 m²
  • Conclusão da Obra 2012
  • Projeto 3XA Architekci
  • Equipe Ewa Czerny, Maciej Kowaluk e Lukasz Reszka
  • Projeto de Arquitetura 3XA Architekci
  • Projeto de Decoração Ewa Czerny (3XA)
  • Projeto Luminotécnico 3XA Architekci
Topo