Apartamentos

Apê neoclássico ganha interiores pautados por cores neutras e molduras nas paredes

Giovanny Gerolla

Do UOL, em São Paulo

O apartamento na Vila Nova Conceição, bairro de alto padrão beneficiado pela vizinhança arborizada do Parque do Ibirapuera, em São Paulo, tem 350 m² e fica num edifício de arquitetura neoclássica - estilo que marcou os projetos das grandes construtoras há 10 anos – e seria, então, reformado.

O primeiro detalhe a chamar atenção do arquiteto Maurício Karam, contratado para fazer a repaginação dos interiores, foi um piso pré-existente em madeira marfim, clara, o que ele, por iniciativa própria, nunca teria escolhido. “Os clientes, no entanto, pediram que os pisos originais ainda novos fossem mantidos”, conta Karam.

E foi a tonalidade neutra do chão a partida arquitetônica para a composição dos ambientes, fazendo com que o arquiteto passasse a ter outra opinião a respeito da madeira marfim para pisos quentes. “Como pensei tudo a partir deste assoalho, o resultado final foi, mesmo para mim, surpreendente”, confessa.

Migrando do branco às várias nuances de cinza, existe uma tênue continuidade harmônica que perpassa todos os ambientes, estejam eles integrados ou não. “A família também não queria que as tábuas corridas fossem ebanizadas; o resultado, ainda assim, foi feliz e moderno”, avalia o arquiteto.

O carro-chefe dos revestimentos foram as molduras de polipropileno coladas às paredes, em alturas que variaram de acordo com a função do ambiente, mas que - de forma geral - seguiram os enquadramentos de portas e caixilhos, desenvolvendo a horizontalidade contínua que, delicadamente, se alia à gradação dos cinzas.

  • Arte UOL

    Planta do Apê Vila Nova Conceição, com interiores projetados pelo arquiteto Maurício Karam

Para trazer mais personalidade e diferenciar o uso dos espaços, optou-se ora por cores mais intensas - como o preto e o marrom no quarto do casal e na sala de TV -, ora por elementos decorativos destacados, como o pendente azul turquesa na sala de jantar. Neste ambiente, a composição livre do excesso de mobília fez o azul destacar-se ainda mais em meio ao cinza escurecido, com efeito decorativo único.

Contínuo e integrado

Muitos dos cômodos da residência são efetivamente integrados. A sala de jantar está ligada ao living por portas de correr, que ao serem fechadas, possibilitam intensificar os tons de cinza das paredes, sem romper a linguagem da arquitetura de interiores.

A sala de TV também tem portas corrediças, logo à entrada principal do apartamento, integrando-a ao convívio social. Nela, o piso é de mármore crema marfil, o que “puxa” os tons da parede até o marrom seja atingido.

Os forros em rebaixo de gesso flutuantes (grandes tabicas) não existiam e foram elementos essenciais para que se distribuíssem entre as salas equipamentos de luz e som.

  • Sérgio Israel/ Divulgação

    A mesa lateral clássica (Novoantigo), em tom mais escuro, é combinada às poltronas Brentwood

Elementos luminotécnicos embutidos foram combinados com a luz emanada de estantes, prateleiras e abajures dispersos por todos os ambientes, criando cenários distintos – para conversas informais, leitura, estudos ou jantares para convidados.

Poucos ambientes, como é o caso da saleta que antecede a cozinha, tiveram seus forros originais mantidos. Neste caso, com uso mais íntimo, molduras nas parede que chegam quase ao teto e metragem reduzida, optou-se por manter o emoldurado de gesso, cujas linhas acompanhavam a proposta decorativa original.

Pouca intervenção, mudança generosa

O único ambiente que sofreu intervenção na infraestrutura foi a cozinha. Foi preciso tirar cooktop e coifa, que ficavam centralizados, para dar espaço a uma área fria operacional e separada do resto da casa. O novo fogão foi embutido na bancada lateral de Silestone que acomoda cubas, armários e a máquina de lavar louças. Todos os pontos de hidráulica e elétrica tiveram de ser readequados.

Nos banheiros das suítes - todos idênticos -, foi empregado o mármore piguês como revestimento, desde o piso, até a altura de meia-parede (80cm).

Apesar de “encaixado” no conceito arquitetônico que tratou todos os ambientes da residência, o quarto da filha do casal não deixou de carregar em si a personalidade forte da criança, que participou diretamente da escolha das cores e das estampas na parede da cabeceira: uma pintura listrada em tons pastel com corações. Ao lado da cama, uma estante de livros, com lâmpadas embutidas, iluminam as noites da menina, fazendo as vezes de um abajur gigante. 

Ficha técnica

Apartamento Vila Nova Conceição, São Paulo (SP)

Projeto de Maurício Karam Arquitetura

Detalhes do projeto
  • Área Construída 350 m²
  • Início do Projeto julho/ 2010
  • Conclusão da Obra julho/ 2011
  • Projeto Maurício Karam
  • Projeto de Arquitetura Maurício Karam Arquitetura
  • Projeto Luminotécnico Maurício Karam Arquitetura
Topo