Casas

Balanços e transparências compõem casa de linhas retas e mil metros quadrados em SP

A casa de dois pavimentos com projeto de Monica Drucker para um casal com três filhos não reflete a cidade de São Paulo, urbana e um tanto árida. Instalada no alto do morro do Morumbi, zona sul da capital, entre as muitas árvores remanescentes da quadra da Fundação Maria Luiza e Oscar Americano, a casa se debruça para a paisagem da cidade, com destaque para a Marginal Pinheiros, com sua ponte estaiada (Octavio Frias).

Implantada quase 10 m acima do nível do terreno vizinho, além da vista privilegiada a casa goza de uma privacidade incomum, o que permitiu liberdades também incomuns para uma residência na cidade de São Paulo. De acordo com Monica Drucker, a construção é uma investigação de ideia de varanda como espaço fluído, e de sua expressão abstrata como um mecanismo de filtro e sombra.

O volume branco é relativamente grande, cerca de mil metros quadrados de área construída, e apresenta cortes e recortes geométricos em um jogo de alturas que confere movimento a ortogonalidade característica dos projetos da arquiteta, assumidamente modernista.

Ambientação torna os espaços aconchegantes

Grandes panos de vidro com caixilhos que receberam uma pintura especial na cor aço escovado são as únicas e verdadeiras divisas entre o externo e interno. "Por ser uma área bem arborizada resolvi intensificar o uso desses panos evitando o uso de esquadrias, o que conferiu à fachada lateral de entrada uma forte geometria formal", descreve a arquiteta. Apesar da amplidão conferida pela transparência os ambientes internos valorizam o aconchego em tons quentes que variam do branco ao caramelo.

O programa dividiu áreas sociais e privativas em dois pavimentos. No térreo concentram-se living, salas de almoço e jantar, escritório, home teather, cozinha, lavanderia e dispensa. No andar superior distribuem-se a suíte máster do casal e as três suítes dos filhos, todas com área de closet, além de uma pequena sala íntima. Contígua a essa área, mas com acesso somente pelo térreo, concentram-se os dormitórios, cozinha e banheiro dos empregados.

A entrada principal é lateral, disposta sob um pórtico em balanço que se rebate no pavimento do piso, elevado. A porta de entrada é um grande painel de madeira maciça com sistema pivotante. O hall de pé-direito duplo, com cerca de 4 m de altura, apresenta uma fita envidraçada na porção superior que confere mais iluminação à fachada sudeste.

Laje em balanço dispensa pilar

Os dois panos envidraçados das fachadas lateral e posterior (voltada para a piscina) dispensam o pilar de canto porque toda a laje suspende-se em balanço. Além do hall, quase toda a área social é revelada: é possível avistar até a sala de almoço.

Os ambientes caracterizam-se apenas pelo posicionamento dos móveis, visto que as paredes externas/internas não contam nada sobre o layout. Todos os ambientes sociais dividem o mesmo piso e teto, mas alguns ainda permitem compartimentação por meio de grandes portas retrateis de madeira, como o home teather, a sala de almoço e o escritório. Fora da casa, o verde na forma de flamboyants e bambus abre espaço para a piscina e o gazebo com churrasqueira, localizado sob as copas mais frondosas das árvores.

A casa conta ainda com tratamento de esgoto, captação de energia solar, ventilação cruzada, janelas com tratamento térmico, isolamento térmico de poliestireno, controle digital de iluminação, madeira reciclada, entre outras medidas que visam diminuir o impacto de sua existência no meio ambiente. (Simone Sayegh, colaboração para o UOL)

Ficha técnica

Casa no Morumbi, São Paulo

Projeto de Drucker Arquitetos Associados

Detalhes do projeto
  • Área Construída 1000 m²
  • Projeto Mônica Drucker
  • Projeto de Paisagismo Alalou Paisagismo
  • Projeto Estrutural - Concreto Aiello Engenharia e Consultoria
  • Construção Tudisco Engenharia e Empreendimentos
  • Projeto de Instalações Elétricas Pessoa e Zamaro Projetos de Instalações
Topo